Fotografia: Arquivo DM

Novo Centro Cultural responde à falta de espaços para associações de Braga

Obras da primeira fase foram aprovadas hoje e exigem investimento de 1,75 milhões de euros

Joaquim Martinas Fernandes
17 Mai 2021

A vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Braga, Lídia Dias, garantiu hoje que o novo Centro Cultural que vai nascer nas instalações da antiga escola Francisco Sanches «vai dar resposta à necessidade de espaços» que existe para que as entidades culturais do concelho possam desenvolver a sua atividade.

A garantia foi deixada depois de os vereadores da oposição terem alertado a maioria para que não repitam os erros que se cometeram com o projeto da antiga estação dos caminhos de ferro, que continua longe de ser o espaço de dinamização cultural prometido há mais de uma década pelo Executivo do Partido Socialista.

«O Centro Cultural a instalar no edifício da antiga escola Francisco Sanches vai responder à falta de espaços multifacetados para a criação atística», assegurou a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Braga.

Lídia Dias, que respondia na reunião camarária de ontem às inquietações apresentadas pelos vereadores do Partido Socialista e da CDU, acrescentou que no equipamento que vai receber as obras da primeira fase, «vão ser instaladas residências artísticas e espaços de galeria».

Salientou a titular da pasta da Cultura que a instalação de residências artísticas e de outro tipo de projetos de criação artística e cultural «não se esgotam» no Centro Cultural que vai nascer na freguesia de São Victor, uma vez que «vão ser criados outros equipamentos culturais em freguesias de fora da área urbana», no âmbito de candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultural do projeto “Braga Cultura 2030”.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up