Vídeo: DR

Concelho tem novas plataformas de comércio eletrónico.

Luísa Teresa Ribeiro
19 Abr 2021

O comércio e o setor agroalimentar de Ponte de Lima estão agora mais próximos dos clientes, com o lançamento das lojas online Comprar Limiano e Mercado Agrolimiano. As novas plataformas de comércio eletrónico pretendem dinamizar a economia local em tempos de pandemia, mas também colocar estas áreas de atividade no caminho do futuro.

Lançada pela Câmara de Ponte de Lima em colaboração com a Associação Empresarial de Ponte de Lima, a loja online Comprar Limiano dirige-se ao comércio e serviços do concelho. Esta plataforma conta, para já, com 31 negócios e mais de 400 produtos online, tendo ultrapassado as 7500 visualizações em duas semanas.

Por seu turno, o Mercado Agrolimiano é uma plataforma digital de promoção dos produtores locais, dirigida especificamente ao setor agroalimentar. Com 18 produtores inscritos e mais de 200 produtos online, a iniciativa traduz a relevância que autarquia limiana atribui ao mundo rural do concelho, contando com a colaboração da cooperativa agrícola local.

Na apresentação da loja Comprar Limiano, que decorreu na passada quarta-feira, no auditório Rio Lima, o presidente da Câmara Municipal referiu que este investimento traduz «a obrigação e a responsabilidade» da autarquia de «dar ao tecido económico um conjunto de instrumentos facilitadores que podem e devem ser aproveitados pelos empresários».

Victor Mendes defendeu que este é um contributo semelhante ao que o município dá quando concede benefícios fiscais às empresas e cidadãos ou disponibiliza lotes nos parques industriais para instalação de unidades produtivas.

 

Comprar Limiano é montra online do comércio local

O autarca considerou a Associação Empresarial de Ponte de Lima um «parceiro estratégico» para a dinamização económica do concelho, exortando os empresários a aderirem à iniciativa Comprar Limiano, de forma a rentabilizarem o investimento público de 10 mil euros que foi efetuado.

O edil lembrou que os empresários não têm custos adicionais com a utilização da plataforma, beneficiando de ações de formação e iniciativas de promoção. «O que se pretende é que o comércio online seja complementar ao espaço físico», afirmou, solicitando aos empresários que mantenham na Internet a mesma qualidade que têm nos estabelecimentos físicos, que já é uma marca de Ponte de Lima.

Admitindo que a plataforma «não é uma varinha de condão que vai resolver todos os problemas» dos empresários, este responsável argumentou que as plataformas online são «uma inevitabilidade», tendo sido «desenvolvidas de uma forma mais célere» por causa da pandemia.

Em seu entender, as vendas online vão ter cada vez maior expressão, por isso o tecido económico limiano tem de estar preparado para o futuro.

Por seu turno, o vice-presidente da Associação Empresarial revelou que esta estrutura viu na iniciativa «uma mais-valia para todos os empresários». «Vemos neste projeto uma excelente alternativa de vendas, uma maneira de acelerar o processo que iríamos ser obrigados a fazer. A pandemia veio catalisar o processo de digitalização dos negócios, pelo que tivemos que o acelerar perante a impossibilidade de termos clientes nas lojas físicas», declarou João Pereira.

O dirigente associativo lembrou que os empresários não devem desperdiçar esta oportunidade, uma vez o esforço inicial, mais dispendioso e moroso, já está feito. «O grande segredo do sucesso desde projeto, neste momento, está nas mãos dos empresários», afirmou, exortando-os a apresentarem neste canal os seus melhores produtos, com a melhor imagem possível.

Empresários beneficiam de formação e de ações de promoção da plataforma

Os empresários que aderirem à plataforma Comprar Limiano beneficiam de um conjunto de ações de capacitação para poderem tirar partido das potencialidades do novo canal de vendas e de iniciativas de divulgação que vão ser levadas a cabo.

Estas vantagens complementares à disponibilização dos produtos e serviços 24 horas por dia, 7 dias por semana, foram destacadas pelo responsável pela WeProductise, a empresa limiana que desenvolveu a plataforma.

António Mota Vieira explicou que os negócios locais têm total autonomia dentro da plataforma, desde os produtos que destacam até ao método de entrega aos clientes que escolhem.

Os utilizadores não têm que fazer registo ou instalar aplicações, podendo comprar artigos de vários negócios na mesma encomenda.

Paralelamente, vão ser levadas a cabo ações de promoção para dar a conhecer a nova loja online, que passam por iniciativas digitais, publicidade na comunicação social e em painéis exteriores e o envio de um folheto informativo para os munícipes de Ponte de Lima quando a plataforma atingir os 50 negócios disponíveis online.

O projeto engloba diversas lojas e serviços, que se distribuem pelas seguintes categorias:   alimentação e bebidas; arte e artesanato; automóveis; casa, bricolage e jardim; eletrodomésticos, informática e recondicionados; equipamentos, máquinas e ferramentas; escritório, livraria e papelaria; instrumentos musicais; ourivesaria; restauração e pastelaria; saúde, higiene e beleza; têxteis, vestuário e calçado; e turismo.

 

Produtos agroalimentares online com selo de qualidade

O presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima explicou que a plataforma digital Mercado Agrolimiano pretende destacar um setor «extraordinariamente importante» para a economia do concelho, fazendo com que os produtos locais cheguem aos consumidores com um selo de qualidade. A loja digital foi apresentada publicamente na passada quinta-feira, no auditório municipal.

Victor Mendes explicou que este setor tem «uma dinâmica muito grande» no concelho, existindo produtores que apresentam no mercado produtos inovadores e de qualidade, mas que muitas vezes não têm escala para entrar nos circuitos de comercialização.

A ideia da plataforma para apoiar estes produtores locais e impulsionar o desenvolvimento rural surgiu a partir da Feira 100% Agrolimiano que decorreu exclusivamente online, no passado mês janeiro, devido à impossibilidade de realização do certame no Pavilhão de Feiras por causa das restrições impostas pela pandemia.

«Tivemos uma experiência interessante, com resultados muito positivos. A iniciativa contou com a adesão das empresas do setor agroalimentar e acima de tudo com clientes de praticamente todo o país, com destaque para as áreas metropolitanas do Porto e de Lisboa, com apetência para produtos de qualidade, sobretudo de agricultura biológica, que não se conseguem encontrar nas grandes superfícies, e ainda por cima com preços muito interessantes», afirmou.

Fruto dessa experiência, a autarquia decidiu avançar com a loja online, em parceira com a Coopalima – Cooperativa Agrícola dos Agricultores do Vale do Lima, no sentido de ajudar a escoar os produtos, fazer com que os produtores tenham retorno do seu trabalho e assim incentivar a que haja mais investimento no setor agroalimentar.

De forma a assegurar a autenticidade, os produtos comercializados na plataforma vão ser certificados com um selo designado “100% agrolimiano”. «Os produtos vão ter um selo de garantia para os consumidores tenham a certeza de que estão a consumir produtos de qualidade de Ponte de Lima», declarou.

Os consumidores têm à sua disposição produtos como hortofrutícolas, carne, fumeiro e charcutaria, vinho, mel, pastelaria ou compotas e doces, que podem receber em casa ou recolher na Coopalima.




Outras Reportagens


Scroll Up