Fotografia: DR

Braga reforça união com a Galiza ao receber o 7.º festival “Convergências”

Portugal e a Galiza voltam a dar as mãos nesta 7.ª edição do Festival Convergências organizada pelo grupo Canto D’Aqui, em parceria com o Centro de Estudos Galegos da Universidade do Minho e o apoio do Município de Braga.

Carla Esteves
11 Abr 2021

Canto D’Aqui, Oscar Ibáñez & Tribo, os Bomboémia, Cristina Branco, Uxia Senlle e o Grupo Folclórico da Universidade do Minho são apenas alguns dos nomes sonantes que  personalizam o Festival Convergências Portugal Galiza 2021, que decorrerá de 19 de abril a 9 de maio. Concertos, fado, teatro, momentos de tertúlia e poesia e apresentação de livros marcam um cartaz rico, que se distribui por vários pólos culturais, incluindo os  incontornáveis o Theatro Circo e Altice Forum Braga.

Portugal e a Galiza voltam a exprimir, através deste programa, o sentimento que os une: separados pelas águas, mas ainda assim unidos pela língua, pelos costumes, pela cultura, numa semana que a organização promete que «será enriquecedora a nível de conhecimento, com eventos de grande interesse cultural e musical».

O concerto de abertura  desta 7.ª edição, que terá lugar no dia 19 de abril, às 19h00, no Altice Forum Braga, marca também o início da “Braga Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2021”.

Nesse evento os bracarenses Canto D’Aqui convidam Oscar Ibañez & Tribo, uma banda composta por destacados artistas da música folk galega, para assinalarem este momento com a sua música, depois de uma arruada dos Bomboémia. 

Após o concerto de arranque, o programa prossegue com música e teatro no Centro de Juventude de Braga, até outro dos grandes momentos do programa desta 7.ªa edição: o Tributo a Zeca Afonso, marcado para o dia 25 de Abril, às 11h00, no Theatro Circo, em Braga. 

É neste dia marcante para a libertação democrática em Portugal que nomes bem conhecidos do programa musical nacional, como Manuel Freire e Francisco Fanhais, se juntam aos Canto D’Aqui para um Concerto de Tributo a Zeca Afonso. 

O espetáculo deste ano terá, porém, um formato diferente dos de anos anteriores, convidando a escutar as vozes de Manuel Freire e Francisco Fanhais, acompanhadas ao piano por Jorge Cunha sem esquecer a tradição dos instrumentos e das vozes dos Canto D’Aqui.

É toda uma oportunidade para homenagear temas que marcaram uma época, perdurando até ao presente e mantendo sempre viva a mensagem e a voz de Zeca Afonso.

O programa prossegue com eventos que oscilam entre o Centro de Juventude de Braga e Ponteareas e a Fundação Rosalía de Castro Padron, local onde, este ano, decorrerá, no dia 9 de maio, às 17h00, o Concerto de Encerramento do Festival Convergências pelo Grupo Folclórico da Universidade do Minho e Canto D’Aqui.

Nos idílicos jardins da Fundação Rosalía de Castro os Canto D’Aqui e o Grupo Folclórico da Universidade do Minho espalharão música, e não faltarão dança e a poesia.





Notícias relacionadas


Scroll Up