Fotografia: DR

Semana das Regiões vai traçar caminhos para a recuperação europeia

Iniciativa decorre de 11 a 14 de outubro.

Luísa Teresa Ribeiro
29 Jan 2021

A 19.ª Semana Europeia das Regiões e dos Municípios vai decorrer entre 11 e 14 de Outubro, organizada em conjunto pela Comissão Europeia e pelo Comité das Regiões. A recuperação europeia depois da pandemia vai ser o foco central do maior evento anual dedicado à política de coesão.

As principais linhas desta iniciativa foram apresentadas ontem, numa sessão online, onde foi anunciado que a edição deste ano vai decorrer em formato digital, embora com a possibilidade de agendamento de algumas atividades presenciais restritas, em Bruxelas, se as condições sanitárias melhorarem.

Sob o mote “Juntos pela recuperação”, a realização vai ter como temas a transição verde, focando-se numa recuperação sustentável e verde; a coesão, da emergência à recuperação; a transição digital para as pessoas; e o envolvimento dos cidadãos para uma recuperação inclusiva, participativa e justa.

No lançamento do evento, a diretora para as áreas de orçamento, regiões ultraperiféricas e comunicação da Direção-Geral da Política Regional e Urbana (DG Regio), Monika Hencsey, referiu que o principal desafio que se coloca neste momento à organização é tentar perspetivar qual será o contexto económico e político daqui a nove meses. A expectativa é que, em outubro, a Europa esteja na encruzilhada entre o combate à pandemia e a reconstrução após os efeitos devastadores da Covid-19.

Esta responsável sublinhou que, em tempos sem precedentes, a política de coesão mostrou mais uma vez a sua «relevância», ao providenciar ajuda «rápida e flexível», que permitiu a aquisição de equipamentos de proteção individual, a existência de apoios para a manutenção de postos de trabalho ou a disponibilização de capital a pequenas e médias empresas.

Tendo em conta os novos instrumentos europeus de financiamento, Monika Hencsey lembrou a ambição de construir um futuro mais verde e mais digital, sem deixar ninguém para trás. «Não podemos negligenciar a dimensão social, económica e territorial da crise e da recuperação. É por isso que a política de coesão está no coração do pacote de recuperação», afirmou.

Em nome do Comité das Regiões, órgão consultivo que reúne representantes eleitos de autoridades regionais e locais dos estados-membros, Ian Barber defendeu que o investimento europeu sem precedentes tem de ser acompanhado por um esforço e um compromisso também sem precedentes para se tirar o melhor partido possível destas oportunidades.

Em seu entender, esta edição da Semana das Regiões deve ser um ponto de encontro entre os políticos, os decisores e os responsáveis pela implementação dos investimentos, de forma a que se promova o desenvolvimento sem deixar nenhuma região para trás.

Até 26 de março decorre o prazo para apresentação de propostas para o programa desta iniciativa, sendo que todas as informações relativas ao processo são disponibilizadas no site do evento.

Recorde-se que a edição de 2020, a primeira Semana Europeia das Regiões e dos Municípios em formato digital, atingiu um número recorde de mais de 12.000 participantes e 510 sessões.





Notícias relacionadas


Scroll Up