Fotografia: DR

Misericórdia da Póvoa de Lanhoso aprova orçamento de 14,5 milhões

Instituição apostada na «melhoria contínua» dos seus serviços.

Redação
30 Nov 2020

A Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso aprovou, em Assembleia Geral dos Irmãos, o Plano de Atividades e o Orçamento para o exercício de 2021 com um valor na ordem dos 14,5 milhões de euros.

Numa nota à imprensa, a Instituição qualifica o documento como sendo «de alto desempenho», assente numa política de «melhoria contínua», em que estão inscritos projetos de curto e de médio-prazo, para além do trabalho «para mitigar os efeitos decorrentes da pandemia» e da resposta «segura e fiável» que pretende manter para a comunidade.

Entre esses projetos para os próximos anos está uma nova Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI),  bem como uma nova creche, com «capacidade alargada», para acolher as crianças do atual edifício e no futuro para  incorporar também a resposta de CATL.

No Plano e Orçamento para 2021 está inscrita também a construção de um novo edifício para o setor de compras/ aprovisionamento e armazém, atendendo a que as atuais instalações «já não respondem na totalidade, às necessidades internas».

Estes projetos fazem parte de um Plano Estratégico que a Misericórdia da Póvoa de Lanhoso tem para os próximos 5 anos e para os quais prevê obter apoio financeiro através do Plano de Recuperação e Resiliência.

O Plano de Atividades e o Orçamento de Exploração Previsional e Investimentos foi aprovado por unanimidade e aclamação, no passado sábado, dia 28 de novembro, numa sessão em que a Mesa Administrativa atribui um voto de louvor a Agostinho Vieira, ex-administrador-delegado do Hospital António Lopes, recentemente aposentado.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up