Fotografia: Avelino Lima

PSP interceta algumas pessoas no centro

Vários ciclistas foram alertados para o facto de não poderem andar de bicicleta na rua.

Rita Cunha
28 Nov 2020

Durante a tarde de hoje, várias pessoas foram abordadas por agentes da PSP que procedeu a uma ronda verificando se quem andava na rua após as 13h00 o fazia com motivo válido e, por outro lado, se os estabelecimentos cumpriam as regras.

O DM acompanhou parte desta ronda, tendo verificado que uma boa parte das pessoas abordadas circulava de bicicleta, desconhecendo que não o poderiam fazer, alegando estar em passeio ou a praticar desporto. Porém, apenas é permitido circular a pé, e em casos restritos, pelo que os agentes alertaram para o facto, o que foi bem aceite pelos ciclistas.
Foram ainda intercetadas algumas pessoas que se dirigiam para o trabalho e outras que não tinham justificação a para circularem, estando afastadas da zona de residência, pelo que foram aconselhadas a ir para casa.

A ronda compreendeu igualmente os estabelecimentos comerciais, sendo que os de retalho com área até 200 metros quadrados e com entrada pela rua podem estar abertos. Aqui, os agentes verificaram que as pequenas mercaerarias abertas cumpriam com os procedimentos legais. Em duas delas havia clientes que usavam máscara e cumpriam o distanciamento.
Excetuando estas lojas, todas as outras a retalho se encontravam encerradas, mas algumas tinham funcionários no interior. Num dos casos, procediam à limpeza mas não usavam máscaras, o que motivou o alerta por parte dos agentes. Uma outra loja tinha uma funcionária no interior, que explicou estar fechada ao público mas a trabalhar online.

À margem da ação, o comissário Jorge Magalhães explicou que «a esmagadora dos cidadãos cumpre» com o que está determinado na lei, mas «há situações em que as pessoas são apanhadas desprevenidas porque não estão perfeitamente informadas», e deu como exemplo o caso dos ciclistas.

Segundo o responsável, estas rondas visam aferir, monitorizar a situação e sensibilizar, atuando de forma pedagógica. Porém, há casos em que a infração dá direito a uma multa. «Hoje ainda não levantamos nenhum auto, mas já levantamos dezenas neste período de confinamento», disse, sublinhando a não utilização de máscara e o consumo de bebidas alcoólicas na via pública como as principais infrações detetadas.





Notícias relacionadas


Scroll Up