Fotografia: Nuno Cerqueira

Primeiros quatro doentes covid-19 já deram entrada na EAR

Covid-19.

Nuno Cerqueira / Lusa
28 Nov 2020

A Unidade Distrital de Retaguarda (EAR) instalada no Centro Cultural de Viana do Castelo recebeu hoje à noite os primeiros quatro doentes covid-19 vindo do Hospital de Viana do Castelo.

Ao que tudo indica, e como apurou este jornal no local, são esperadas ainda mais transferências de doentes covid-19, de forma a aliviar a pressão que o Hospital de Viana do Castelo tem sido sujeito nos últimos dias.

O transporte está a ser feito com equipas especializadas da Cruz Vermelha Portuguesa do Alto Minho e Bombeiros Voluntários.

Esta estrutura de apoio conta, para já, com 30 camas e pode crescer às 120. Esta pode pode mesmo chegar às 200 em caso de necessidade extrema.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por E24 (@e24.pt)

Entretanto, este jornal sabe que o Hospital de Viana está na sua capacidade máxima, visto que esta “alternativa” até é vista com agrado, pois no Centro Cultural de Viana do Castelo há «mais espaço e calma» para se trabalhar.

Recorde-se que na passada quinta-feira o presidente da comissão distrital da proteção civil de Viana do Castelo admitiu um crescimento exponencial de casos no Alto Minho.

«Com a alteração da média de novos casos, que passou de 25, por dia, em outubro, para 85, por dia, em novembro, a nossa expectativa é que este local vai estar a acomodar gente», afirmou Miguel Alves, também autarca de caminha.

Este responsável referiu que «a pressão sobre o hospital foi em crescendo, nos últimos dias», existindo, para doentes covid, quatro camas em enfermaria e três em cuidados intensivos.

«À data de hoje (quinta-feira), no Hospital de Viana do Castelo, das 81 camas na enfermaria de covid apenas quatro estão disponíveis. Na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) existem 25 camas e apenas três estão disponíveis», especificou.

O autarca socialista disse ainda que a situação epidemiológica no distrito de Viana do Castelo «é muito preocupante».

«Neste momento, estamos com mais de quatro mil casos ativos e temos a lamentar 94 mortes. Só no mesmo de novembro e ainda não chegamos ao final do mês temos mais caso do que tivemos até ao final do mês de outubro e o mês de outubro já foi muito difícil», reforçou.

A EAR foi instalada pela Câmara de Viana do Castelo, em abril, no centro cultural da cidade.





Notícias relacionadas


Scroll Up