Fotografia: Avelino Lima

Recolher obrigatório “antecipa” véspera de Natal… antes do silêncio

De manhã, a azáfama e a correria às lojas. De tarde, o silêncio.

Rita Cunha
14 Nov 2020

Ainda falta mais de mais de um mês para o Natal, mas quem circulasse pelo centro de cidade de Braga e acessos a superfícies comerciais na manhã de hoje pensaria tratar-se do dia 24 de dezembro, normalmente marcado por uma afluência acima da média às lojas, com algum trânsito, e passos apressados, com sacos na mão.

Estes foram alguns dos efeitos do recolher obrigatório decretado pelo Governo para este fim de semana. Mesmo sabendo há já uma semana que, a partir das 13h00, seria obrigatório ficar em casa – salvo algumas exceções previstas na lei -, foram muitos os que não conseguiram antecipar as suas compras, o que provocou filas à entrada de alguns supermercados que tiveram de impôr limites face dada a lotação total permitida.

Noutros, nomeadamente nas superfícies de maior dimensão, não foram visíveis grandes filas, mas ainda assim a afluência foi elevada dada a quantidade de pessoas que entrava e saía.

À medida que se foram aproximando as 13h00, surgiram as filas à saída dos espaços, sinal de que a maioria estava a dirigir-se para casa. Nem todos o conseguiram fazer “a tempo”, mas o “silêncio” tomou conta da cidade pouco tempo depois.





Notícias relacionadas


Scroll Up