Fotografia: DM

Fronteiras continuam a ser um teste às ambições europeias

Elisa Ferreira da abertura do Fórum das Fronteiras.

Luisa Teresa Ribeiro
9 Nov 2020

A comissária Elisa Ferreira defendeu, esta manhã, que as fronteiras continuam a ser uma área em que as ambições europeias são postas à prova.

Na abertura do primeiro Fórum das Fronteiras, a responsável pela Coesão e Reformas referiu que a crise de Covid-19 demonstrou que as fronteiras «continuam a ser uma questão importante de interesse público e de debate».

Esta responsável lembrou que quando as fronteiras fecharam abruptamente, no primeiro confinamento, houve pessoas impedidas de ir trabalhar, de ver a família e de aceder a cuidados de saúde. «No primeiro confinamento, percebemos o quanto o modo de vida europeu depende das fronteiras abertas», afirmou.

Em seu entender, é preciso «tirar as lições necessárias dessa experiência», sendo que «muitos bens públicos, como os transportes, o acesso à energia, o emprego e a saúde, transcendem as fronteiras» e que «nenhum destes bens públicos europeus deve ser bloqueado por uma fronteira».

Elisa Ferreira destacou que, no meio do segundo confinamento na Europa, «aprendemos o valor das fronteiras abertas». «Acredito firmemente que as questões transfronteiriças são importantes e precisam de atenção. Analisámo-lo na última comunicação de 2017 sobre o reforço das regiões fronteiriças da UE. E vamos preparar um novo Comunicado em breve», adiantou.

O primeiro Fórum das Fronteiras decorre de forma virtual, até amanhã, podendo ser acompanhado aqui.





Notícias relacionadas


Scroll Up