Fotografia: Arquivo DM

PS e CDU defendem que reposição de férias gera discriminação

Oposição diz que a avaliação dos trabalhadores se baseia em critérios subjetivos e criará um clima de desigualdade e descriminação

Carla Esteves
19 Out 2020

ACDU e o PS colocaram, hoje, em causa, durante a reunião do executivo municipal, o Acordo Colectivo de Entidade Empregadora Pública (ACEEP) recentemente celebrado entre a autarquia bracarense e três organismos sindicais, que permitirá que uma parte dos trabalhadores municipais vejam repostos alguns direitos retirados durante o período da troika, entre os quais a reposição dos 25 dias de férias anuais e o direito à folga nos dias de carnaval e de aniversário.

O referido acordo prevê a reposição desses três dias de férias, caso o funcionário tenham uma classificação elevada no quadro do SIADAP (Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração).

O referido acordo deixou de fora o STAL (Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local), um dos mais relevantes em matéria de função pública local.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up