Espaço do Diário do Minho

Bruno Torres, o homem do leme

15 Out 2020
António Costa

O futebol de praia em Braga começou em 2013, num projeto que na altura parecia fazer pouco sentido, mas que o tempo revelou como uma criação de sucesso completo, como provam os números alcançados.

O início foi auspicioso e o título de campeão chegou logo no ano de estreia. A sede de vencer existente nos Gverreiros das areias levou à conquista global de seis títulos de campeão nacional, três títulos da Euro Winners Cup (equivalente à Liga dos Campeões), dois mundialitos de clubes e a única edição da Taça de Portugal disputada, sendo atualmente os Campeões do Mundo e ocupando o primeiro lugar do ranking mundial, de forma destacada, o que sublinha bem o espírito de conquista existente.

Na presente temporada, uma lesão do melhor do mundo, Jordan Santos, que prejudicou o seu rendimento, aliada à infelicidade e menor competência registadas no desempate por pontapés de penalti, no seguimento de algumas decisões infelizes da arbitragem, significaram a perda da final da Euro Winners Cup 2020 e um encontro menos conseguido no único jogo em que não se podia falhar, frente ao Sporting na final four, ditou a perda do título nacional para os leões, numa competição em que o favoritismo existente não valeu nada. Ora, como sou defensor que este projeto deve continuar e ser até reforçado, de modo a voltar a conquistar os títulos agora perdidos, decidi escrever este artigo dedicado ao futebol de praia.

No percurso de sucesso descrito existem duas etapas distintas, com o registo de um “antes” e um “depois” de Bruno Torres como líder deste projeto, sendo atualmente o verdadeiro homem do leme do projeto, depois de uma escolha surpreendente, na altura, de António Salvador, mas que se revelou muito boa.

O responsável do futebol de praia bracarense, filho do antigo futebolista José Alberto Torres, nasceu em Guimarães, mas é um poveiro dos pés à cabeça e encarna na perfeição o verdeiro espírito Gverreiro, que se nota em cada treino nas areias da Póvoa de Varzim, junto ao Náutico, ou na cidade desportiva e que está bem simbolizado quando coloca o capacete depois de cada conquista.

O líder dos Gverreiros das areias considera que o desempenho do cargo “é um orgulho imensurável e uma responsabilidade tremenda, pois a exigência e a grandeza do clube assim o determinam”, mostrando ser uma pessoa exigente, competente e conhecedor profundo da modalidade, mas um autêntico amigo nas relações humanas com os restantes elementos do grupo, como revela o dirigente Joel Pereira.

O técnico arsenalista, que tem o seu irmão António Torres como braço direito, encontrou em Braga uma “casa” onde se sente como se ali tivesse vivido desde sempre, acumulando as funções de treinador e jogador, sendo presença assídua na seleção nacional, onde atualmente tem a companhia de cinco colegas de equipa, o que certifica bem o reconhecimento do sucesso existente e que se espera continue no futuro.

Parabéns por tudo, Bruno Torres e os meus votos de uma longa vida como Gverreiro do Minho.



Mais de António Costa

António Costa - 8 Out 2020

O SC Braga conheceu os seus adversários para a fase de grupos da presente edição da Liga Europa. Ao que parece, a UEFA já deverá permitir a existência de público, cabendo a decisão às autoridades de cada país. Assim, o sorteio ditou o acompanhamento no grupo G das equipas do Leicester (Inglaterra), do AEK (Grécia) […]

António Costa - 1 Out 2020

A segunda jornada da liga portuguesa será uma das mais negras da época para o SC Braga, depois da derrota por 0-1 frente ao Santa Clara. Pelo menos assim espero. Os açorianos nunca tinham ganho em Braga e apenas por uma vez tinham empatado, mas este jogo foi negativamente marcante para os arsenalistas, manchando uma […]

António Costa - 24 Set 2020

O SC Braga entrou em falso na nova época desportiva ao perder no estádio do Dragão por 3-1 frente a um adversário que na última temporada tinha vencido por três vezes, fazendo o pleno nos jogos disputados. Os arsenalistas estiveram privados de Paulinho e Gaitán, por razões físicas. Os comandados de Carlos Carvalhal estiveram em […]


Scroll Up