Fotografia: DR

Arcos de Valdevez e Ponte da Barca reivindicam beneficiação de ligação à Galiza

A empreitada é reclamada há mais de uma década.

Redação/Lusa
15 Out 2020

Os presidentes das Câmaras de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca reivindicaram hoje a beneficiação da estrada que liga o Itinerário Complementar 28 (IC28) à fronteira da Madalena, em Ourense, na Galiza, considerada “estratégica” para a região.

Em comunicado conjunto hoje enviado à agência Lusa, os autarcas daqueles dois concelhos do distrito de Viana do Castelo adiantam ter enviado uma “missiva” ao primeiro-ministro a exigir a “melhoria” daquela ligação do IC28, sublinhando a sua importância para o reforço das ligações rodoviárias ao mercado económico transfronteiriço e europeu (nomeadamente à estação de Celanova do TGV da linha Madrid-Galiza e à autoestrada A52).

João Manuel Esteves e Augusto Marinho, ambos do PSD, lembram que a empreitada é reclamada “há mais de uma década” e querem que o Governo a inclua no Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal como obra “prioritária” para “alavancar as relações económicas e transfronteiriças e a atratividade dos municípios e da região”.

Os autarcas destacam que aquela estrada “é estratégica para a competitividade” dos dois municípios e do distrito de Viana do Castelo, sendo que, do lado galego, é considerada “estruturante na conexão entre Celanova e a fronteira da Madalena”.

“A melhoria da estrada permitirá colocar as pessoas e os produtos a menos de 30 minutos das redes rodoferroviárias principais de ligação a Madrid e ao centro da Europa, isto porque irá ligar com a autoestrada de acesso à Europa (A52)”, adiantam.

Segundo os dois autarcas, “a via também permitirá a ligação ao TGV, uma vez que está em construção a sul de Ourense/Celanova a estação da Linha de Alta Velocidade entre Madrid-Galiza”.

João Manuel Esteves e Augusto Marinho recordam ainda que a obra faz parte do plano rodoviário português, bem como do plano da Junta da Galiza, e lamentam que não tenha sido abordada a sua concretização na última cimeira luso-espanhola.

A obra integrou o Plano de Proximidade da Infraestruturas de Portugal, com a denominação “460 – EN 203/304-1 Beneficiação entre Ponte da Barca e Lindoso”, para lançamento no ano de 2017 e com uma dotação de 3,5 milhões de euros.





Notícias relacionadas


Scroll Up