Fotografia: Fribrenamics Green

Resíduos ganham nova vida transformados em produtos inovadores

Plataforma Fribrenamics Green é finalista de prémios europeus RegioStars 2020.

Luísa Teresa Ribeiro
12 Out 2020

Transformar resíduos industriais em produtos inovadores é o objetivo da Plataforma Fribrenamics Green, com sede em Guimarães. O trabalho que está a desenvolver na promoção da economia circular valeu-lhe um lugar entre os finalistas dos prémios RegioStars 2020, cujos vencedores vão ser conhecidos na próxima quarta-feira, em Bruxelas.

Um candeeiro feito com resíduos de plástico e madeira, calçado que alia restos de plástico à cortiça ou uma peça de mobiliário criada a partir de resíduos minerais de basalto são alguns dos produtos que levam até ao consumidor o trabalho da Fribrenamics Green – Plataforma de Desenvolvimento de Produtos Inovadores com Base em Resíduos.

Com sede no campus de Azurém, em Guimarães, esta plataforma é finalista dos prémios RegioStars 2020, promovidos pela Comissão Europeia, concorrendo na categoria de “Economia circular para uma Europa verde” e ao prémio de votação do público. Os vencedores vão ser conhecidos na próxima quarta-feira, às 18h00, em Bruxelas, com transmissão online, no âmbito da 18.ª Semana Europeia das Regiões e dos Municípios.

Esta nomeação traduz o reconhecimento internacional do trabalho que está a ser desenvolvido por um projeto criado em 2016 pela Plataforma Fibrenamics da Universidade do Minho, em parceria com o Centro para a Valorização de Resíduos, com o apoio financeiro do Programa Norte 2020.

A plataforma agrega atualmente 20 investigadores, mais de 100 empresas de vários setores e um “Green Think Thank” com 80 criativos na área de design de produto, movimentado 2,5 milhões de euros.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up