Fotografia: Nuno Cerqueira

Esposende quer mais “Dobreiras” no Município

Ativista ambiental.

Nuno Cerqueira
1 Out 2020

O ativista ambiental, e praticante de plogging, Carlos Manuel Dobreira, levou ontem, simbolicamente, à Assembleia Municipal de Esposende o resultando de um conjunto de ações que realizou na Vila de Apúlia e que resultaram na recolha de diverso lixo e pontas de cigarro.

Na intervenção que realizou, Carlos Manuel Dobreira referiu que desde junho de 2019, no centro e norte de Portugal, em nove ações de plogging, recolheu 44858 beatas de cigarro, 4400 litros de resíduos recicláveis, perigosos e lixo indiferenciado, em 165 horas e 47 minutos.

Dando conta do que realizou no território de Esposende, Dobreira revelou desde o dia 04 de setembro, em 21 sessões, recolheu entre a praia da Apúlia (norte), Avenida Marginal Cedovém e frente ao ISN, 8243 beatas de cigarro e 1420 litros de resíduos e lixo em 41 horas e 48 minutos.

«As 8243 beatas de cigarro, aqui expostas, serão doadas ao Laboratório da Paisagem (Guimarães) para serem reconvertidas e incorporadas em estrutura construtiva (tijolo). Dos resíduos e lixo recolhidos em locais considerados paradisíacos, de meditação e de contemplação, destaque para um agrafador, mas também máscaras enroladas nas algas, borracha sintética, um alternador, doseadores de gel, boías de embarcações, calçado, palhinhas, serras para corte de metal, palitos, embalagens de gelados, fitas de tecido e de plástico, latas de bebidas energéticas, garrafas de vidro e de plástico, lenços de papel, tampas e caricas, maquinaria naval, cordas, rolhas, embalagens de ovos, embalagens de gelados, bandoletes, sacos com dejetos de animais, capas de telemóvel, garrafas de champanhe e de vinho, embalagens de lixívia e de óleo e até partes de baldes de tinta», contou.

Desta forma o ativista pediu à autarquia, em articulação com as instituições do concelho e juntas de freguesia, «a promoção de ações de plogging concelhias, a redução da acumulação de resíduos no espaço público através da colocação de ecopontas e papachicletes (estruturas de mobiliário urbano destinadas à recolha para reconversão destes resíduos), a colocação de outdoors de sensibilização para o respeito pela Natureza (neste caso, o Parque Natural Litoral Norte), a colocação de mais ecopontos nos acessos às praias do concelho e a preservação do sistema dunar através da limitação de acessibilidades e sinalização e manutenção de passadiços».

O presidente da Câmara de Esposende mostrou-se sensível à questão e recordou os princípios ambientais que orientam o concelho desde sempre.

«Somos mesmo apontados como exemplo nas nossas políticas ambientais», frisou, acrescentando que o Município estará ao lado das iniciativas de Carlos Manuel Dobreira dando-lhe todo o apoio, seja de forma individual ou em grupo, recordando que Esposende, através das juntas e Câmara, têm realizado também ações de limpeza dos espaços salvaguardados.





Notícias relacionadas


Scroll Up