Fotografia: DM

Comunidade de Cabeceiras de Basto desafiada a praticar a caridade

D. Jorge Ortiga presidiu à celebração da Eucaristia em honra de S. Miguel, padroeiro do concelho.

Jorge Oliveira
29 Set 2020

O Arcebispo de Braga convidou hoje a comunidade cristã de Cabeceiras de Basto a colocar em prática as propostas da Arquidiocese para este novo ano pastoral, as quais preconizam uma igreja sinodal e samaritana, ou seja, voltada para a caridade.

O desafio de D. Jorge Ortiga foi deixado na Eucaristia solene em honra de S. Miguel, padroeiro de Cabeceiras de Basto, a que o prelado presidiu no Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

Cabeceiras de Basto assinalou hoje  o Dia do Município com uma singela cerimónia nos Paços do Concelho, ao que se seguiu a celebração da Eucaristia, com a presença do presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, e do presidente da Assembleia Municipal, Joaquim Barreto, entre outros autarcas.

O Arcebispo de Braga notou que na paróquia de Refojos de Basto e em todo o concelho de Cabeceiras há certamente «muitos problemas sociais» como pobreza, casos de fome, condições de habitação indigna, violência doméstica, e os cristãos devem estar atentos a esses casos e, mais do que isso, procurar uma resposta.

«Nós temos que ver, é a primeira atitude, mas depois não podemos baixar os braços, fazer de conta ou ficar à espera que seja a Paróquia, a Junta ou a Câmara a resolver. Somos nós que temos que pensar, ver o que podemos fazer, por ventura, pedindo a intervenção da Paróquia, da Junta, da Câmara», disse D. Jorge, referindo que o amor a Deus passa por esta atitude, numa vivência sinodal e samaritana.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up