Fotografia: DR

Unidades de saúde reabrem até 1 de outubro

Anúncio feito pelo presidente Benjamim Pereira.

Redação/Lusa
25 Set 2020

As unidades de Saúde da Apúlia e Forjães, em Esposende, vão reabrir até ao dia 1 de outubro, “estando em estudo” uma solução para criar um centro de testagem à covid-19 em Belinho, anunciou hoje o presidente daquela autarquia.

Num texto publicado na sua página da rede social Facebook, Benjamim Pereira explica que aquelas unidades de saúde foram encerradas em março “como estratégia de prevenção”, no âmbito do combate à pandemia de covid-19, delineada pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Cávado III Barcelos Esposende.

“Estou hoje em condições de garantir que o mais tardar no dia 01 de outubro estarão em funcionamento as Unidades de Saúde de Apúlia e Forjães, estando em estudo uma solução para um eventual Centro Covid em Belinho, de forma a que as pessoas que tenham que ser testadas não tenham que se dirigir a Barcelos”, anunciou.

Em julho reabriu a Unidade de Saúde de Fão e em agosto, explica o autarca, foi contactado o diretor daquela ACES “no sentido de o sensibilizar para a necessidade extrema de se reabrirem as restantes Unidades de Saúde ainda encerradas”, nomeadamente as de Apúlia, Forjães e Belinho.

“Disponibilizei o município para fazer o que fosse necessário com vista à reabertura, nomeadamente suportando encargos financeiros que não são da nossa responsabilidade. Ficou do lado do ACES encontrar os recursos humanos que viabilizassem a reabertura, mesmo que em horários mais reduzidos, mas que permitissem que as pessoas mais fragilizadas não ficassem sem apoio médico de proximidade, dando assim resposta ao descontentamento das populações”, acrescenta o presidente daquele município do distrito de Braga.

Benjamim Pereira descreve que, após contactar igualmente o presidente da Administração Regional de Saúde do Norte, fixou “nessa altura [em 24 de agosto] um prazo limite até ao final de setembro para que tudo estivesse resolvido”.

Desde então, confirmou à Lusa o autarca no início de setembro, “foi acordada a realização por parte da autarquia de pequenas intervenções nos edifícios, ficando a cargo da ARS-N a disponibilidade de recursos humanos”.





Notícias relacionadas


Scroll Up