Fotografia: DM

Celebrações litúrgicas online só em situações excecionais

Padre Tiago Freitas partilhou experiência da Arquidiocese de Braga nas Jornadas Nacionais de Comunicação Social.

Jorge Oliveira
25 Set 2020

O padre Tiago Freitas, da Arquidiocese de Braga, deixou hoje claro, nas Jornadas Nacionais da Comunicação Social, que o recurso aos meios digitais para a transmissão da Eucaristia deve ser provisório e em períodos excecionais em que não seja possível a celebração em assembleia de modo presencial.

«Por muito que a transmissão online das eucaristias seja um instrumento extraordinário para este tempo [de pandemia] deve ser sempre entendido de modo provisório para muitas comunidades e não de modo ordinário, habitual», disse, referindo que este «não é o melhor modo de viver a Eucaristia».

O sacerdote, que foi um dos oradores deste evento anual organizado pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais (SNCS) da Igreja Católica, este ano com o tema “Mais do que ligados”, explicou que a celebração da Eucaristia «é, em primeiro lugar e antes de mais, comunitária», pelo que requer a participação pessoal numa assembleia num espaço sagrado.

Na comunicação que proferiu, com o tema “Liturgia online”, o chefe de gabinete do Arcebispo de Braga partilhou com os participantes deste painel a experiência da Arquidiocese de Braga nas transmissões das celebrações eucarísticas no período de confinamento, entre meados de março até início de maio, a partir do Capela do Paço Arquiepiscopal, assim como da Catequese online com D. Nuno Almeida, bispo auxiliar.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up