Fotografia: Jorge Oliveira

Câmara de Esposende pede «responsabilidade» a toda a comunidade em ano letivo «atípico»

Benjamim Pereira abriu sessão de abertura do ano escolar que arranca com várias medidas de proteção e segurança.

Jorge Oliveira
9 Set 2020

O presidente da Câmara de Esposende pediu hoje, na sessão de abertura do novo ano letivo, «muita responsabilidade» e «dedicação» a toda comunidade, por forma a que não venha a ser necessário encerrar nenhuma escola do concelho por causa de surtos de Covid-19.

Benjamim Pereira alertou que o ano escolar não será fácil, apesar de já haver a experiência do final do ano letivo anterior e de neste momento o concelho ter apenas 15 pessoas infetadas pelo novo coronavírus.

O autarca apelou ainda ao profissionalismo dos professores no sentido de antecipar eventuais problemas e salvaguardar a comunidade escolar no seu todo.

«É um ano letivo atípico que exige a compreensão das medidas que vão ser tomadas no sentido da proteção das crianças, professores e comunidade escolar», disse aos jornalistas.

O autarca garantiu à comunidade educativa a «cooperação total» da Câmara e a sua «presença permanente» nas escolas, quer naquilo que são as suas competências, quer na componente da saúde pública.

Na sessão de abertura do ano letivo, que decorreu no Auditório Municipal, apenas com a presença de representantes dos conselhos pedagógicos dos agrupamentos escolares, membros do conselho municipal de educação, presidentes de junta, vereadores e membros da Assembleia Municipal, foram apresentados os programas educativos municipais. Ao todo são 65 programas que estão planeados, mas alguns ficarão suspensos, porque a autarquia não tem forma, neste contexto de pandemia, de os operacionalizar.

O concelho de Esposende tem cerca de cinco mil alunos, desde o Pré-Escolar ao 12.º ano, distribuídos por dois Agrupamentos de Escolas (das Marinhas e António Correia de Oliveira) e a Escola Secundária Henrique Medina.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up