Fotografia: Avelino Lima

Celorico de Basto pede ajuda a Marcelo para “desatar o nó” das acessibilidades

Na comemoração dos 500 anos da atribuição do Foral à vila por D. Manuel I.

Jorge Oliveira
6 Set 2020

O Município de Celorico de Basto comemorou hoje, com a participação do Presidente da República, os 500 anos da atribuição do Foral à vila. A efeméride ficou marcada pela inauguração das obras de reabilitação dos edifício dos Paços de Concelho e de um painel de azulejos alusivo ao 500 anos do foral numa rotunda no centro da vila.

O presidente da Câmara Municipal de Celorico aproveitou a presença de Marcelo Rebelo de Sousa naquela que também é a terra do Presidente da República para lhe pedir ajuda no sentido de usar a sua magistratura de influência para ser cumprido o que está acordado há vários anos em matéria de acessibilidades para o concelho.

Joaquim Mota e Silva lembrou que passarem muitos primeiros-ministros, várias partidos e continua por executar aquilo que foi protocolado em 1985, que tinha a ver com o encerramento da linha ferroviário do Tâmega e a construção da ligação de Amarante, passando por Celorico e ao Arco de Baúlhe.
«Nós não queremos favores, a única coisa que pedimos é que se faça aquilo que está escrito, nós não queremos “cunhas”, só queremos que as coisas efetivamente se façam», disse o autarca na sessão que antecedeu a inauguração da requalificação do edifício dos antigos Paços do Concelho.

O Presidente da República defendeu que o concelho de Celorico de Basto deve estar incluído no plano de desenvolvimento da ferrovia portuguesa.
«Se há uma aposta na ferrovia é preciso que Celorico de Basto também faça ouvir a sua voz. Importa ir mais longe», referiu Marcelo Rebelo de Sousa, lembrando que Cabeceiras de Basto é um concelho do interior.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up