Fotografia: DR

Papa pede cancelamento da dívida de países mais frágeis

Na Mensagem para o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação

Redação/Ecclesia
1 Set 2020

No Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação o Papa Francisco renova o «apelo para se cancelar a dívida dos países mais frágeis» no contexto da pandemia Covid-19, lembrando que a «exploração do sul do planeta provocou um enorme deficit ecológico».

«Não devemos esquecer a história de exploração do sul do planeta, que provocou um enorme deficit ecológico, devido principalmente à depredação dos recursos e ao uso excessivo do espaço ambiental comum para a eliminação dos resíduos», escreve Francisco na mensagem para o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação de 2020, que se assinala hoje.

Neste contexto, o Papa renova o «apelo para se cancelar a dívida dos países mais frágeis, à luz do grave impacto das crises sanitárias, sociais e económicas» que esses países têm de enfrentar na sequência do vírus Covid-19.

«É necessário ainda assegurar que os incentivos para a recuperação, em fase de elaboração e implementação a nível mundial, regional e nacional, se tornem realmente eficazes mediante políticas, legislações e investimentos centrados no bem comum e com a garantia de se alcançar os objetivos sociais e ambientais globais», desenvolve.

Segundo Francisco, é de igual modo «preciso restaurar a terra» e salienta que o «restabelecimento» de um equilíbrio climático é «extremamente importante», por causa da «urgência em que a sociedade se encontra, a ficar sem tempo, como lembram os filhos e os jovens».

«Tem-se de fazer todo o possível para manter o aumento da temperatura média global abaixo do limite de 1,5 graus centígrados, como ficou consagrado no Acordo de Paris sobre o Clima: ultrapassar tal limite revelar-se-á catastrófico, sobretudo para as comunidades mais pobres em todo o mundo», acrescentou.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up