Vídeo: Nuno Cerqueira

Atum rabilho e espadarte.

Nuno Cerqueira
12 Agosto 2020

Armadores colocaram hoje três embarcações em frente ao edifício da Autoridade Marítima Nacional, no porto de Viana do Castelo, em protesto contra «pressões» e alegados lobies na pesca do espadarte e atum rabilho.

Várias tarjas estão penduradas nas embarcações, onde se pode ler «secretário de Estado das Pescas deixa sem trabalho 30 marinheiros» ou «não cedo a pressões», numa tarja assinada pelo armador, Jerónimo Rato.

Já o armador António Cunha, um dos maiores armadores da pesca do espadarte, denuncia que «para conseguirem quota os armadores do espadarte têm que se fazer sócios de uma associação espanhola (ORPAGUI)».

«Chegou o tempo que os pescadores têm de comprar o próprio peixe que pescam», lê-se.

Em outra tarja é denunciado que estão acabar com as históricas embarcações de Âncora da pesca do atum rabilho.

«Ao contrário das duas embarcações montadas no Algarve, uma de registo espanhol e outra italiana que pertencem a empresas espanholas que o atual secretários de Estado, José Apolinário, licenciou quando era diretor geral das pescas (…) Que seja feita justiça e que me atribuem as quotas que me pertencem por direito históricos», aponta o armador Cunha.

 


Outros Vídeos

Scroll Up