Espaço do Diário do Minho

O que conta são as pessoas

3 Ago 2020
António Filipe Cruz

No período que atravessamos, é importante refletir sobre a importância das pessoas, dos recursos humanos, trabalhadores que diariamente exercem a sua atividade nas entidades do setor não lucrativo, especialmente aquelas que têm na sua matriz a assistência às populações, nas regiões, nos territórios deste nosso país.

A missão de cada Instituição toma forma e concretiza-se através destas pessoas que as dirigem, que nelas trabalham e que, muitas vezes, deixam ao largo a sua própria família para servirem o bem comum.

Muitas vezes associamos a defesa do bem comum aos políticos, aos grandes dirigentes do setor A ou do Setor B. E, é verdade: são! Contudo, estas pessoas que diariamente dirigem e trabalham nas Instituições deste nosso país são igualmente um elo fundamental de exercício do bem comum.

Tal como muitas Instituições, há empresas que têm a sua história fundada numa forte aposta nos seus recursos humanos. É, pois, importante reconhecer ao setor social e solidário a relevância dos seus recursos humanos e partilhar (empresas e Instituições) experiências para o enriquecimento deste valioso recurso.

Entre as muitas características do setor social solidário, talvez a de maior destaque seja a sua “dependência” das pessoas que asseguram no quotidiano a sua atividade e que garantem o cumprimento da sua missão.

O número de pessoas envolvidas e a qualidade do serviço prestado têm reflexo nos custos de funcionamento e na apreciação do desempenho institucional pelas comunidades que servem.

A atenção dada por estas organizações a este importante recurso deve refletir esta sua riqueza maior, para que se evitem constrangimentos à sua atuação e se prossiga na qualidade dos serviços prestados.

Desenvolver boas práticas de gestão de recursos humanos é concorrer para o sucesso destas organizações.

É este o desafio!

Deixo alguns pontos para início de reflexão, que caberá a cada um analisar: (1) Planear; (2) Recrutar e Selecionar; (3) Formar e Desenvolver; (4) Avaliar; (5) Envolver.

É fundamental que dirigentes e responsáveis pelas instituições sejam sensíveis aos benefícios que resultam da adequada gestão e das boas práticas em sede de Recursos Humanos.

Este será o meu desafio para o próximo mês.

Porque é um assunto muito caro à F3M, voltaremos a abordá-lo em setembro.



Mais de António Filipe Cruz

António Filipe Cruz - 26 Nov 2020

O ano 2021 vai trazer novas alterações às regras de faturação, com impacto para a maioria das IPSS. Estas alterações abrangerão a Comunicação das Séries das Faturas, a criação do Código Único do Documento e a introdução de um Código de Barras Bidimensional em todas as faturas e outros documentos fiscalmente relevantes. Desde logo, importa […]

António Filipe Cruz - 13 Mai 2020

Em tempos de pandemia, não se pode esquecer as medidas de salvaguarda de dados pessoais. Têm sido inúmeras as advertências da Comissão Nacional de Proteção de Dados para falhas no tratamento de dados pessoais. Nesta medida, urge realizar um trabalho firme e preciso, para que possamos acorrer às necessidades atuais, sem deixar cair as precauções […]

António Filipe Cruz - 18 Abr 2020

No primeiro artigo sobre o processo de implementação do RGPD abordamos a necessidade de sensibilizar toda a organização para a importância deste processo e, abordamos também, a importância da recolha de dados e o rigor a incutir para que o resultado final possa conduzir ao maior grau possível de conformidade com o RGPD. Neste segundo […]


Scroll Up