Fotografia: Avelino Lima

Grande Romaria de S. Bento vai recordar vítimas da pandemia

Irmandade prepara celebrações que vão acontecer de 10 a 15 de agosto condicionadas às regras em vigor

Jorge Oliveira
31 Jul 2020

A Irmandade de São Bento da Porta Aberta está a preparar a Grande Romaria de Agosto que vai realizar-se em moldes diferentes, condicionada às restrições decorrentes da pandemia de Covid-19, à semelhança do que aconteceu na romaria de julho, na festa litúrgica de São Bento como Padroeiro da Europa.

O programa mantém as celebrações religiosas habituais, com exceção das duas procissões ao ar livre (em honra de S. Bento e de Nossa Senhora) que este ano darão lugar a outras celebrações.

«Iremos fazer a romaria dentro das contingências atuais, mas com a mesma dedicação e devoção a São Bento», disse o presidente da Irmandade, o cónego Roberto Rosmaninho Mariz.

A romaria começa no dia 10 de agosto, com a receção aos peregrinos, sendo o ponto alto no dia 13 de agosto, com a celebração da missa solene às 11h00, para a qual foi convidado a presidir o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga.

Nesta romaria, já próxima do encerramento do Ano Pastoral da Arquidiocese, vai rezar-se para que a vivência da fé em torno de São Bento da Porta Aberta possa ajudar a «respirar a esperança e a transnspirar essa esperança para fora» neste tempo marcado pela pandemia de Covid-19 que tem levado a «muitos receios, ansiedades e medos», adiantou o cónego Roberto Mariz.

Nas intenções estarão particularmente todos aqueles que sofrem com a pandemia e aqueles que a combatem e ajudam a superar a doença.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up