Fotografia: VieiradoMinhoTV

Presidente da Câmara de Vieira do Minho desmente que tenha sido constituído arguido

«Não somos corruptos» afirmou o edil.

Nuno Cerqueira
29 Jul 2020

O presidente da Câmara de Vieira do Minho, António Cardoso, desmentiu hoje que tenha sido constituído arguido, confirmando que a Polícia Judiciária de Braga esteve na autarquia no âmbito de uma denuncia (ver aqui).

«Estas buscas decorrem na sequência de um processo de dois artigos urbanos. Sobre este caso concreto, o Município já apresentou vários esclarecimentos, nomeadamente ao IGAMAOT e também às autoridades judiciais e administrativos», afirmou o edil em conferência de imprensa, referindo que o processo é de 2016.

 

O Município esclareceu ainda que todos os elementos que compõem o Executivo, se mostram desde já totalmente disponíveis para auxiliar a Policia Judiciária como o Ministério Público na investigação em causa.

Do resultado das buscas hoje efetuadas, António Cardoso faz questão de salientar no auto de busca e apreensão deixado pelos inspetores da Polícia Judiciária.

«Percorridas todas as divisões da Câmara Municipal de Vieira do Minho, nomeadamente os gabinetes profissionais do Presidente da Câmara Engº. António Cardoso Barbosa e do Arquiteto João Filipe da Costa Pimenta, nada foi encontrado com interesse para os presentes autos», leu o edil.

«Lamentamos que estas investigações que deveriam ser sigilosas, sejam retratadas na praça pública, pelos meios de comunicação social de forma maliciosa e com ausência de verdade. Pelo que entendemos que situações destas deveriam ser alvo de avaliação e inquérito, junto das instituições e administrações dos meios de comunicação social», frisou.





Notícias relacionadas


Scroll Up