Fotografia: Arquivo DM

Município de Braga aprova primeira descida da taxa de IMI em sete anos

Redução do IMI entrará em vigor no próximo ano e surge em resposta a uma proposta da CDU

Carla Esteves
27 Jul 2020

O executivo municipal bracarense aprovou ontem uma redução de 3% do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), uma medida que se prevê que venha aliviar o orçamento das famílias, mas que representará um prejuízo de quase um milhão de euros de receita aos cofres da autarquia.

Trata-se da primeira redução do IMI decidida em sete anos, que surge em resposta a uma proposta da CDU, que propôs ao executivo uma redução de 5% na taxa de IMI aplicável aos prédios urbanos, mediante o contexto de agravamento das condições económicas e sociais das famílias, face à situação de pandemia.

O presidente da Câmara de Braga respondeu que uma medida destas teria um impacto real de mais de um milhão e meio de euros nos cofres camarários e realçando que a Câmara Municipal de Braga não tem folga orçamental que lhe permita tomar uma decisão desta magnitude, argumentou que é vontade da autarquia manter o nível de investimento realizado nos últimos anos.

Em declarações aos jornalistas Ricardo Rio admite que esta foi a primeira redução decidida em termos administrativos em sete anos», mas recordou que no primeiro ano do seu primeiro mandato, enquanto gestor das finanças municipais, teve que arcar com as consequências de uma decisão anterior de redução de 12,5% do IMI, que representou um corte nas finanças municipais, que só produziu impactos em 2014.

«Esta é uma redução que eu não deixo de dizer que tomámos com sacrifício, porque todos têm consciência da situação financeira do Município e dos encargos estruturais que o Município tem para enfrentar e da importância que esta receita tem para o Município financiar a atividade municipal, num contexto que hoje vivemos, de grande crescimento do investimento público», afiançou.





Notícias relacionadas


Scroll Up