Fotografia: Nuno Cerqueira

Menos criminalidade em Viana e mais queixas em Braga

Relatório Anual de Segurança Interna.

Redação / NC
30 Jun 2020

O distrito de Viana do Castelo viu uma diminuição da criminalidade violenta e grave em 2019, revela o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) do ano passado hoje entregue na Assembleia da República. Já em Braga em 2019 houve uma maior incidência das participações feitas às forças e serviços de segurança.

Já os distritos de Bragança, Viseu, Portalegre e Vila Real registaram um aumento da criminalidade violenta e grave em 2019.

Segundo o RASI, Bragança registou um aumento de 38,1% da criminalidade violenta e grave, passando de 42 crimes em 2018 para 58 em 2019, Viseu subiu 31,5% (127 para 167), Portalegre aumentou 30,1% (83 para 108), enquanto em Vila Real se verificou uma subida de 29,4% (102 para 162).

Os distritos de Lisboa, Porto, Setúbal e Faro concentram 75% da criminalidade violenta e grave registada.

O RASI indica que em Lisboa registou-se um aumento de 3%, passando de 5.924 crimes violentos e graves em 2018 para 6.101 em 2019, no Porto verificou-se uma subida de 3,2% (2.185 para 2.256) e Setúbal aumentou 3% (1,506 para 1.551).

Por sua vez, no distrito de Faro registou-se uma diminuição de 2,4% da criminalidade violenta e grave em 2019 face a 2018 (921 para 899).

O RASI dá também conta que a criminalidade violenta e grave desceu mais nos distritos de Évora (-21,3%), Açores (-14,8%), Leiria (-14,3%) e Viana do Castelo (-14%).

No âmbito da criminalidade geral, o RASI destaca que se registaram aumentos em Castelo Branco (20%), Portalegre (10,5%) Faro (8,3%), Aveiro (5,9%) e Madeira (5,1%).

Em sentido oposto, os distritos de Bragança registaram uma descida de 10,1%, Vila Real (-7,6%) e Lisboa (-3,6%).

Os distritos de Lisboa, Porto, Setúbal, Faro, Braga e Aveiro registaram em 2019 a maior incidência das participações feitas às forças e serviços de segurança, representando 70,3% de toda a criminalidade geral.

Segundo o RASI, em 2019 registou-se um aumento de 0,7% da criminalidade geral em relação a 2018 (mais 2.391 participações), passando das 333.223 para 335.614, enquanto a criminalidade violenta e grave registou mais 417 participações (13.981 para 14.398), o que corresponde um aumento de 3%.





Notícias relacionadas


Scroll Up