Fotografia: Jorge Oliveira

Município de Caminha pede reforço da GNR para evitar abusos durante o verão

Presidente da câmara preocupado com reabertura de fronteiras e movimento acrescido na época balnear

Redação
27 Jun 2020

O presidente da Câmara de Caminha quer «ação firme» contra «abusos» na nova fase que se inicia a 1 de julho, em que é esperado no concelho uma maior afluência de visitantes, e vai pedir um «reforço» de efetivos da GNR junto do Comando Geral da Guarda e do Ministério da Administração Interna.

Miguel Alves, que esteve reunido ontem com os comandantes dos postos da GNR de Caminha e Vila Praia de Âncora para preparar a época balnear e a reabertura de fronteiras, alega que o concelho de Caminha «não pode ter o mesmo efetivo da GNR no verão e no inverno», uma vez que o concelho recebe na época balnear o «triplo de gente».

O autarca teme que a falta de meios humanos e materiais daquela força de segurança no concelho, especialmente neste período de verão, possa ser um «entrave à continuidade dos bons resultados» no concelho em termos de combate à Covid-19.

O Posto de Caminha conta com 24 efetivos da GNR e o de Vila Praia de Âncora com 20.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up