Fotografia: Liga Portugal

Custódio Castro diz que pressão no SC Braga é «intrínseca»

Sporting de Braga, quarto classificado, com 47 pontos, e Vitória de Guimarães, sétimo, com 40, defrontam-se a partir das 21h00 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga.

Pedro Vieira da Silva / Lusa
24 Jun 2020

O treinador Custódio Castro disse hoje que a pressão no Sporting de Braga não é maior devido ao ciclo negativo, mas «intrínseca», na véspera da receção ao Vitória de Guimarães, quinta-feira, na 28.ª jornada da I Liga.

Na véspera, o técnico dos conquistadores, Ivo Vieira, tinha destacado que o jogo é «extremamente importante» para o emblema da cidade-berço, que luta pelos lugares que dão acesso à Liga Europa.

A equipa bracarense vem de um empate a zero em Famalicão, que se juntou a duas derrotas seguidas após a retoma do campeonato, interrompido por causa da pandemia de covid-19.

Esses três resultados ditaram a queda para a quarta posição, por troca com o Sporting, mas o treinador recusa que a equipa entre no dérbi minhoto mais pressionada.

«A pressão é intrínseca, está connosco. Os objetivos passam sempre pela conquista dos três pontos, entramos em todos os jogos para ganhar e [a pressão] até é importante para valorizar o que gostamos de fazer, que é jogar bom futebol, lutar pelos lugares cimeiros e por títulos. É uma pressão saudável, quem está em clubes com esta dimensão tem que saber lidar com ela», referiu, em conferência de imprensa.

O técnico, que também tem um passado como jogador do Vitória de Guimarães, admitiu que “estes jogos são sempre especiais”, mas notou que “nunca há essa parte pessoal”: “Há sim um dérbi, que quero ganhar e que ficará para a história [por se jogar sem adeptos nas bancadas]”, observou.

“Em termos de resultados, as duas equipas não ganharam tanto quanto gostariam após a retoma, mas, quanto ao Braga, e olhando para o último jogo e vendo a resposta que os jogadores deram, independentemente do resultado, se a equipa fizer o que fez em Famalicão estará mais perto do nosso objetivo, que é ganhar, o que seria importante”, disse.

Custódio Castro destacou a importância das vitórias, porque “trazem a confiança” e levam a equipa para o “caminho” pretendido e a uma maior crença no “processo”.

Em Famalicão, o treinador mudou o sistema tático, que vigorava desde janeiro com Rúben Amorim, de 3x4x3 para 4x4x2, o que está «muito mais perto» do que quer e defende para a equipa.

«Claramente, jogámos com quatro defesas, mas mais do que isso, jogámos como equipa, atacámos todos, mas também defendemos todos, essa foi a grande diferença, sentiu-se uma equipa compacta e isso é importante para os jogos que aí vêm», disse.

Sporting de Braga, quarto classificado, com 47 pontos, e Vitória de Guimarães, sétimo, com 40, defrontam-se a partir das 21h00 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado por Tiago Martins, da AF Lisboa.





Notícias relacionadas


Scroll Up