Fotografia:

Complemento de estabilização para trabalhadores que estiveram em lay-off aprovado

Trata-se de uma medida a pagar em julho, no montante da perda de rendimento de um mês de ‘lay-off’, num valor que pode variar entre 100 e 351 euros, a todos os trabalhadores com rendimento de fevereiro até dois salários mínimos e que tenham registado uma perda de salário base, que estiveram em ‘lay-off’ num dos meses entre abril e junho.

18 Jun 2020

O Conselho de Ministros aprovou, ontem, o complemento de estabilização, com o objetivo dar um apoio extraordinário aos trabalhadores que tiveram uma redução de rendimento em resultado da pandemia.

Trata-se de uma medida a pagar em julho, no montante da perda de rendimento de um mês de ‘lay-off’, num valor que pode variar entre 100 e 351 euros, a todos os trabalhadores com rendimento de fevereiro até dois salários mínimos (1.270 euros) e que tenham registado uma perda de salário base (ou seja tenham um salário base superior a um salário mínimo), que estiveram em ‘lay-off’ num dos meses entre abril e junho.

A medida custa 70 milhões de euros.

A operação será feita Segurança Social pelo que os trabalhadores, conforme apelou a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, devem ter «todos os seus elementos atualizados na Segurança Social Direta», destaca, em comunicado, o Governo.





Notícias relacionadas


Scroll Up