Espaço do Diário do Minho

A outra crise

18 Jun 2020
Silva Araújo

1.A crise que nos afeta não se restringe aos planos sanitário e económico, como estou persuadido de que erradamente se pensa. Há uma outra, de muito graves consequências: a dos princípios e dos valores.
Princípios e valores sobre que deve assentar uma sociedade bem organizada têm sido postos de lado. Têm sido ridicularizados. Têm sido, irresponsavelmente, combatidos.
É imperioso, porém, ter a coragem de os recuperar. Neste, como noutros casos, voltar atrás é adiantar caminho.
2.Há que ter a coragem – e de o demonstrar com atos – de dizer a todos que ninguém deve fazer aos outros o que não quer que lhe façam a si.
Há que ter a coragem de defender valores como a honestidade, a verdade, a justiça, a não-violência, o respeito pela palavra dada, a estabilidade familiar, a tolerância, o amor ao trabalho, a satisfação dos compromissos assumidos.
Há que educar as pessoas no sentido do respeito por si e pelos outros.
Há que pôr de lado o facilitismo e formar as pessoas na consciência dos seus direitos e também dos seus deveres.
3.Há que proceder ao casamento entre a política e a ética. Um casamento estável e não apenas de conveniência.
Há que legislar tendo sempre em vista o bem comum. Há que procurar que tais leis sejam respeitadas por todos, a começar pelos de cima. Há que saber resistir ao poder dos lobis e não fazer leis à medida dos interesses de alguns.
4.Há que educar para a verdadeira liberdade, exercida sempre com o sentido de responsabilidade. Liberdade sem responsabilidade tem como consequência a libertinagem e esta dá origem à anarquia e ao caos.
Há que consciencializar as pessoas dos justos limites da liberdade.
5.Há que educar no sentido do altruísmo e da prática da solidariedade. Mostrar que os outros também existem. São sujeito de deveres mas também de direitos. Têm as suas opiniões e aspirações. Têm a sua sensibilidade e a sua dignidade. Têm o direito de usufruir dos bens da criação e de partilhar da riqueza que deve ser equitativamente distribuída por todos e não concentrada nas mãos de meia dúzia. Também têm direito a que, dentro do prazo combinado, lhes seja pago o que lhes é devido.
6.Há que ter a coragem de fazer regressar o respeito pela disciplina aos vários sectores da sociedade. De prestigiar a autoridade. De procurar que o poder seja exercido como serviço aos outros. Que mandar seja pôr os bens da comunidade ao serviço da mesma e não uma oportunidade para os colocar ao serviço de interesses pessoais ou de grupo.
7.Há que formar bons educadores e dar-lhes meios para exercerem a sua missão. Respeitar aos pais o direito/dever de educarem os filhos e de poderem escolher o modelo de ensino a ministrar-lhes. Fazer com que Família e Escola caminhem de mãos dadas. Criar condições para que a Escola prepare devidamente para a vida em sociedade e para o exercício consciente, competente e digno de uma profissão.
Há que prestar atenção ao correto uso dos Meios de Comunicação Social e ter a coragem de eliminar do seu seio todo o lixo que ali não deveria nunca ter entrado.
Há que defender o direito de propriedade privada, mas como direito limitado e que não deve ser exercido de forma egoísta e irresponsável.
Há que reconhecer o mérito de diplomados competentes e proporcionar-lhes dignas condições de trabalho.
8.Porque se colocaram em crise princípios e valores que sempre deveriam ser defendidos e respeitados é que assistimos a um conjunto de situações que enumero muito sumariamente: A violência doméstica. O desrespeito pelos idosos. A indisciplina. A corrupção, o compadrio, a promoção da incompetência. A impunidade. O sumiço de lucros a que se deveria acorrer para solucionar problemas em situações de crise. A falta de mão de obra especializada. O abuso de seres humanos.



Mais de Silva Araújo

Silva Araújo - 6 Ago 2020

1. Recordo palavras do Papa Francisco proferidas no Dia dos Avós: «Na memória dos Santos Joaquim e Ana, os “avós” de Jesus, gostaria de convidar os jovens a fazer um gesto de ternura para com os idosos, especialmente os que vivem sozinhos, nos lares e residências, aqueles que não veem os seus entes queridos há […]

Silva Araújo - 30 Jul 2020

O programa pastoral da Arquidiocese Para 2020/23 tem por título «Uma Igreja Sinodal e Samaritana». Proponho-me fazer uma reflexão sobre cada uma destas três palavras. 1. Igreja. O vocábulo deriva, através do latim, do grego ekklesia e pode traduzir-se por assembleia convocada e reunida. Hoje pode designar realidades como: a assembleia litúrgica convocada e reunida […]

Silva Araújo - 23 Jul 2020

1. Escrevo a pensar no Dia dos Avós, que se celebra no dia 26. Estou persuadido de que a presença dos avós na família deve ser refletida numa dupla perspetiva: na do que os avós são para a família e na do que a família é para os avós. É o que – com lacunas, […]


Scroll Up