Fotografia: DR

Lançada petição em defesa do “traçado original” do caminho Braga-Santiago

Caminho da Geira e dos Arrieiros, certificado pela Igreja em 2019, tem 240 quilómetros

Redação
14 Jun 2020

A Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro (AJCMR) lançou uma petição pública em defesa do “traçado original” do caminho jacobeu que liga Braga a Santiago de Compostela, face à tentativa de homologação de um traçado diferente. Ontem, dois dias após ter sido lançada, a petição intitulada “Caminho de Santiago desde Braga e por Berán” já registava 140 assinaturas.

Este itinerário, certificado pela Igreja a 28 de março de 2019, com o nome Caminho da Geira e dos Arrieiros, por ação da Associação Codeseda Viva (Galiza), prevê a passagem por Berán, a «terra natal do projeto».

«Acontece agora que uma terceira entidade pretende a homologação pelas autoridades espanholas de um traçado diferente que, entre outros aspetos, não prevê a passagem por Berán», lamenta a AJCMR, que lançou a petição para «recolher a solidariedade da opinião pública, em particular dos peregrinos e das autoridades ligadas ao Minho e ao Caminho de Santiago».

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi percorrido o ano passado por 367 peregrinos (em dez meses). A maioria partiu de Braga (227), seguindo-se Castro Laboreiro – Melgaço (104), Entrimo e Ribadavia (com oito cada).

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up