Fotografia: DM

Cristãos desafiados a repartir «pão» por quem mais sofre efeitos da pandemia

Arcebispo de Braga presidiu à solenidade do Corpo de Deus na Sé Primacial acompanhado pelo deão, o cónego José Paulo Abreu

Jorge Oliveira
11 Jun 2020

O Arcebispo de Braga apelou hoje à «solidariedade efetiva» dos cristãos neste tempo de pandemia quando presidia à missa solene do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo na Sé Primacial. Uma celebração em período de desconfinamento vivida com muita responsabilidade por parte de todos, quer fiéis, quer celebrantes e ajudantes.

Diante da assembleia que participou na Eucaristia, respeitando as regras decretadas pelas autoridades civis e eclesiáticas, D. Jorge Ortiga disse que os cristãos terão de chegar a uma «solidariedade efetiva», lembrando que «a situação social está grave e irá agravar-se ainda muito mais», e isso deveria incomodar-nos.

«Alimentados pela Eucaristia teremos de ser pão, que se reparte através dos gestos que mostram que estamos unidos e pelas respostas que vamos dando individualmente ou em comunidade para que deixem se existir tantas desigualdades sociais», preconizou.

D. Jorge Ortiga, que concelebrou com o Deão da Sé, o cónego José Paulo Abreu, vincou ainda que é hora de voltar às celebrações comunitárias «com todos os cuidados», mas «sem medo».

Aos fiéis que não podem participar na missa dominical, por razões de saúde ou por outro qualquer motivo, o Arcebispo de Braga convida-os a passar por uma igreja durante a semana, para aí colocar-se diante do Sacrário e sentir a proximidade de Deus.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up