Fotografia: BE

Governo reconheceu problema com perda de rendimentos no lay-off

O BE, de acordo com Catarina Martins, propôs que, caso não sejam «todos os salários garantidos a 100%, pelo menos se aumente a percentagem», ou seja, que o corte não seja de um terço.

Redação/Lusa
4 Jun 2020

A coordenadora bloquista considerou hoje que, se o Governo está a ponderar compensar a perda de rendimentos no passado com o `lay-off´, deve garantir que na próxima modalidade de apoio às empresas os salários sejam pagos a 100%.

Em declarações aos jornalistas na Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, em Lisboa, Catarina Martins foi questionada sobre a expectativa em relação ao Plano de Estabilização Económica e Social, que será hoje aprovado pelo Conselho de Ministros, e que enquadrará o Orçamento Suplementar.

«Aguardaremos pelo documento para o comentar. Eu devo dizer que hoje é noticiado por um jornal, com fonte confirmada pelo Governo já, um complemento que será pago a quem perdeu rendimentos com o lay-off, ou seja, o Governo reconhece que a perda de rendimentos com o lay-off foi um problema nos últimos tempos que precisa de ação», defendeu.

Assim, na perspetiva da dirigente bloquista, se o Governo «está a compensar a perda do lay-off no passado, seguramente compreende a necessidade de não continuar com salários cortados a um terço até ao final do ano», entendendo «aquela que tem vindo a ser a exigência do Bloco de Esquerda de garantir os salários dos trabalhadores».





Notícias relacionadas


Scroll Up