Fotografia: CESE

Sociedade civil quer ser ouvida no plano de recuperação da Europa

Organizações ativas na luta contra a pandemia.

Luísa Teresa Ribeiro
19 Mai 2020

As organizações da sociedade civil querem ter uma palavra a dizer na elaboração do plano de recuperação europeia no pós-pandemia. Estas entidades querem sentar-se à mesa com as instituições e os governos da UE para ajudar a elaborar um plano de recuperação que assegure uma Europa sustentável, mantendo o papel ativo que estão a desempenhar na luta contra a Covid-19, colmatando lacunas ao nível dos serviços públicos de saúde e de assistência social.

Esta foi a principal mensagem que saiu de uma reunião virtual que juntou representantes de organizações da sociedade civil, que trabalham em estreita colaboração com o Comité Económico e Social Europeu (CESE), no âmbito do Grupo de Ligação.

O encontro virtual juntou, no passado dia 12, entidades nas áreas dos serviços sociais e prestação de cuidados de saúde, associações médicas, voluntários, filantropos, associações de estudantes, defensores dos direitos humanos e cooperativas, entre outras organizações.

«As instituições europeias devem assegurar-se que as organizações da sociedade civil sejam parceiras confiáveis nos processos políticos e na tomada de decisões durante e no pós-crise, a fim de garantir que os cidadãos, através dos canais da sociedade civil organizada, tenham uma voz ativa na construção de uma nova Europa, com uma dimensão social mais forte e um futuro mais sustentável», pode ler-se na declaração conjunta assinada pelo o presidente do CESE, Luca Jahier, e pela co-presidente do Grupo de Ligação, Brikena Xhomaqi.

Citado num comunicado do CESE, Luca Jahier sublinha que, «agora, mais do que nunca, a sociedade civil europeia tem um papel fundamental a desempenhar na elaboração de um plano de recuperação e na reivindicação de que este seja implementado rapidamente e de uma forma responsável».





Notícias relacionadas


Scroll Up