Fotografia: Nuno Cerqueira

ANPC quis colocar dois “aviões” em Braga mas logística local não permitiu

DECIR 2020.

Nuno Cerqueira
15 Mai 2020

A Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) quis colocar em Braga, no Aeródromo Municipal, dois “FireBoss”, ou se seja, os velozes e eficazes pequenos aviões de combate a incêndios florestais, para dar apoio aos operacionais terrestres, mas que a os responsáveis pela estrutura de tráfego aéreo, a Câmara de Braga, não conseguiu agilizar face ao tempo útil do pedido.

«A Autoridade quis colocar dois aviões no aeródromo Municipal de Braga, mas foi mostrada indisponibilidade face à ocupação com a habitual atividade que ali decorre, como o paraquedismo e o automobilismo», referiu o Comandante Distrital de Operações de Socorro (CODIS), Hermenegildo Abreu, no âmbito da apresentação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR).

Segundo este responsável, ainda foram procuradas outras soluções no distrito, mas que não se mostraram adequadas face à dimensão de outros espaços.

Entretanto fonte da autarquia bracarense explicou a este jornal que o pedido da ANPC foi feito em fevereiro e que na altura havia já em curso o habitual plano de atividades, geralmente planeado para o aeródromo em outubro.

Para além disse a Câmara de Braga terá tentando ainda agilizar o processo, mas o tempo útil que dispunha para operacionalizar toda a logística – como conduta de água dedicada para os aviões, gare de estacionamento, e arranjar solução para os habituais ocupantes do aeródromo – não o permita solucionar a questão.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up