Fotografia: DM

Fátima é um hino de esperança que nos convoca à fraternidade

D. Nuno Almeida associou Diocese de Braga à prece universal pelo fim da pandemia

Joaquim Martins Fernandes
13 Mai 2020

O bispo auxilidar de Braga, D. Nuno Almeida, afirmou hoje que «a esperança» é o centro da mensagem de Nossa Senhora de Fátima, que apareceu na Cova da Iria para «anunciar a paz» a um mundo que vivia no meio de uma guerra.

Transportando o quadro da aparição do 13 de maio de 1917 para o atual estado de pandemia, D. Nuno Almeida vincou que a mensagem da Virgem Maria é também uma convocação para a «fraternidade universal» e para a entrega «aos mais desprotegidos».

Na homília da eucararistia desta quarta-feira, celebrada na capela do Paço Episcopal, o bispo auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida, recordou que o contexto em que ocorreu a primeira aparição de Nossa Senhora aos três Pastorinhos é muito semelhante ao que a humanidade vive hoje.

D. Nuno Almeida sublinhou o quadro de «fragilidade» que a humanidade vivia, por causa da primeira guerra mundial em que estava mergulhada e acentuou que «a esperança» que a Virgem Maria anunciou a Francisco, Jacinta e Lúcia continua plena de atualidade para uma humanidade confrontada por uma pandemia.

«A virgem Maria visitou-nos como mãe preocupada. E os Pastorinhos dão testemunho do amor que abraça a criação inteira», disse D. Nuno Almeida, sublinhando que, «o triunfo do amor de Deus revela-se em Fátima e a mensagem da Virgem Maria converte-se num hino de esperança». É que Nossa Senhora «não provoca medo», antes «conduz ao Filho que nos salva a todos», disse.
[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up