Fotografia: DR

“Viana Market” lançado para ser montra digital do comércio local de Viana do Castelo

Economia local.

Redação / NC
29 Abr 2020

Foi hoje apresentada a plataforma digital “Viana Market”, que pretende ser a montra digital do comércio tradicional de Viana do Castelo, unindo todo o comércio vianense numa única plataforma eletrónica que funciona como uma ‘marketplace’, “permitindo que as lojas saiam da rua e passem para uma escala global”.

Esta nova ferramenta, que resulta da união de esforços da Câmara Municipal de Viana do Castelo e Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC), com o apoio da ACEPI – Associação Economia Digital, pretende «aproximar o comércio local das pessoas, permitir aos empresários expandir o negócio para o mercado online, permitir a compra de produtos locais sem filas e tempos de espera, divulgar o comércio tradicional da cidade de forma mais visível, acessível e atrativa».

Em conferência de imprensa, o vereador do Desenvolvimento Económico da Câmara Municipal, Luís Nobre, reconheceu que o arranque do projeto se assume como uma «plataforma de trabalho efetiva para os agentes do comércio local», já que «cada comerciante vai ter um espaço digital para identificar o seu negócio e os seus produtos».

A nova plataforma, alojada em www.vianamarket.pt, permite a comercialização, cobrança e expedição dos produtos dos empresários vianenses.

Assim, de acordo com o vereador, «as lojas saem da rua e passam para uma escala global», passando de 90 mil potenciais clientes, habitantes no concelho, para 4 mil milhões de potenciais clientes à escala mundial.

Luís Nobre considera ainda que esta plataforma será uma oportunidade ímpar para o ‘mercado da saudade’ de vianenses e portugueses espalhados pelo mundo.

«O sucesso é imparável se os agentes acreditarem nesta plataforma», frisou, assegurando que os comerciantes podem, a partir de hoje, inscrever-se através de formulário on-line.

O presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo, Manuel Cunha Júnior, destaca o papel do consórcio constituído pelas empresas Blisq, Atlanse e NQDA, todas do concelho e especializadas nas áreas de programação, software, webdesign e marketing digital, que desenvolveram o novo ‘marketplace’.

«Este consórcio veio dar o exemplo de que as entidades se podem unir e criar sinergias para o bem do território e das pessoas», considerou, afirmando que «o comércio digital é o futuro da reinvenção do comércio» e indicando que duas empresas vianenses irão assegurar a recolha e entrega dos produtos adquiridos, numa primeira fase.

A representante da ACEPI, Rubina Jassat, indicou que através do “Viana Market” as empresas passam a poder vender 7 dias por semana, 24 horas por dia, já que terão «acesso gratuito a conteúdos e ferramentas para a capacitação digital».

Duarte Vaz, da Atlanse, que integra o consórcio responsável pela plataforma, garante que as três empresas envolvidas no desenvolvimento do “Viana Market” querem que esta seja «a plataforma da cidade».





Notícias relacionadas


Scroll Up