Fotografia: Arquivo DM

DM antecipa os apoios que Portugal deverá receber da União Europeia

Eurodeputado José Manuel Fernandes antecipa os programas de milhares de milhões com que o país pode contar

Joaquim Martins Fernandes
28 Abr 2020

O eurodeputado José Manuel Fernandes antecipa, em entrevista ao Diário do Minho, os apoios que deverão chegar da União Europeia para ajudar Portugal a enfrentar a crise económica que está a ser desenhada pela pandemia causada pelo SARS-CoV-2.

O parlamentar europeu, que é membro do grupo que está a negociar o Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027, que pode atribuir 36 mil e 500 milhões de euros a Portugal e que é relator e negociador do Parlamento Europeu para o Programa InvestEU, sublinha que o Governo ainda tem disponíveis 13 mil milhões de euros de fundos comunitários, que podem ser totalmente disponibilizados para programas de apoio às empresas, até porque não exigem a contrapartida financeira nacional.

O social democrata que foi relator do Plano Juncker está convicto de que o próximo Quadro Financeiro Plurianual da União pode reservar 36 mil e 500 milhões de euros a Portugal, que deverá contar ainda com uma fatia considerável dos 1,3 biliões de euros estimados para o novo Plano InvestEU.

Ao Diário do Minho, José Manuel Fernandes revela ainda os programas de apoio que podem ser aproveitados pelo setor social, pelos agricultores e pelos pescadores e anuncia o formato do programa inovador que propôs à União Europeia para apoiar os pequenos comerciantes, a hotelaria e a restauração.
[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up