Fotografia: DM

Penha pede proteção neste momento de «angústia e incerteza»

Irmandade promoveu celebração de bênção e consagração de Guimarães a Nossa Senhora

Jorge Oliveira
19 Abr 2020

O santuário da Penha, em Guimarães, acolheu neste segundo Domingo da Páscoa e simultaneamente da Divina Misericórdia uma cerimónia de bênção e consagração da cidade e do concelho a Nossa Senhora, motivada pela situação dramática que estamos viver devido à pandemia de Covid-19.

Numa tarde soalheira, que não fossem as restrições impostas pelo estado de emergência muitas dezenas de pessoas subiriam à montanha da Penha, as celebrações realizaram-se à porta fechada, no interior da igreja, sem a presença de fiéis, de acordo as orientações das autoridades sanitárias e eclesiásticas para evitar a propagação do novo Coronavírus.

Organizada pela Irmandade de Nossa Senhora do Carmo da Penha, a oração, bênção e consagração à Senhora foi presidida pelo reitor do santuário, o padre Carlos Lopes Sousa, segundo o qual este acto religioso, transmitido em direto através da internet,  teve como propósito levar as pessoas à «oração e reflexão» neste «momento de trevas que vivemos, provocado pelo coronavírus».

A Nossa Senhora foi pedida «protecção materna e conforto neste momento de angústia e incerteza».
«A ela nos consagramos, consagrando também a nossa Cidade e concelho de Guimarães, o nosso Portugal e o Mundo», disse o padre Carlos Sousa.

A Jesus, entregaram as «preocupações e anseios» e suplicaram a bênção da Cidade e concelho de Guimarães, de Portugal e do mundo.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up