Fotografia: Redes sociais

Águas do Alto Minho vandalizadas

Vandalismo.

Nuno Cerqueira
19 Abr 2020

As instalações da empresa Águas do Alto Minho (AdAM), no concelho de Caminha, foram alvo de atos de vandalismo. A loja desta empresa intermunicipal apareceu pinchada com insultos e palavras de ordem relacionadas com os preços praticados por aquela empresa de gestão das redes de água em baixa e de saneamento do Alto Minho.

Desde que entrou em atividade em janeiro deste ano tem sido alvo de imensas críticas por parte dos consumidores e algumas quadrante políticos, face às faturas  que têm chegado às casas dos consumidores.

A AdAM é detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

A vereadora da oposição (PSD) na Câmara de Caminha, Liliana Silva, reprovou imediatamente esta atitude. utilizou as redes sociais para criticar o ato.

«Não é assim que se demonstra indignação. Reclamar, sim. Enviar queixas para as entidades competentes sim. Mostrar publicamente a nossa revolta, sim. Dizermos aos presidentes de câmara que estamos contra este negócio, sim. A empresa tem que ser extinta e voltar aos serviços municipais, não tendo nós que andar a pagar salários e logísticas através de faturas de agua avultadas , sim. Agora isto ?! Serve para quê?», escreveu a autarca na sua página do facebook.





Notícias relacionadas


Scroll Up