Fotografia: Jeenah Moon, Reuters

Empresários da restauração de Braga falam “em chacina empresarial”

Pediram audiência ao Presidente da República e primeiro Ministro.

Nuno Cerqueira
8 Abr 2020

O movimento de restaurantes da cidade de Braga (Urbac 19), criado face às circunstâncias da Covid-19, solicitou uma audiência com o Presidente da República e primeiro-ministro. Estes mais de 120 empresários falam que está a decorrer “uma chacina empresarial”.

Segundo nota de imprensa publicada nas redes sociais, a audiência «surge na ausência de medidas onde a restauração se enquadre».

«Surge, também, pela ausência de resposta ao anterior envio do nosso manifesto. Ainda há pouco, ficamos a saber as novas “medidas” para os sócios gerentes. O tempo urge e é determinante tomar medidas de apoio que ajudem a salvar estes postos de trabalho e este sector económico. Pela forma como as entidades governamentais nos tem tratado, tiraremos as nossas conclusões», aponta.

A Urbac 19 refere mesmo que está em curso uma “chacina empresarial em Portugal”.

«A falta de sensibilidade com que olham para este sector é, no mínimo, um ultraje à nossa ética enquanto empresários. O cenário é de guerra, em campo aberto e ao longe já vimos as valas comuns onde querem colocar os nossos negócios. Pelo que já demonstramos ao país, pela forma como sempre soubemos colaborar em horas de sofrimento, exigia-se respeito a todos nós», apontam.

Estes empresários da restauração referem que «as medidas anunciadas, neste momento, mais não passam de manobras de diversão para entreter a opinião pública»

«A forma como se trata a banca “solicitando” mais cooperativismo, quando à banca se deveria exigir que estivesse ao nosso lado, da mesma forma que a todos nós foi exigido pelos nossos impostos para a capitalizar e que hoje quer fazer de nós o seu meio para atingir o lucro», destacam, solicitando desta forma que sejam ouvidos por António Costa e Marcelos Rebelo de Sousa.





Notícias relacionadas


Scroll Up