Fotografia: Ana Marques Pinheiro

Comunidade brasileira em Braga sofre com despedimentos e falta de apoios

Associação de União, Apoio e Integração está a ajudar famílias que pedem auxílio.

Ana Marques Pinheiro
3 Abr 2020

A comunidade brasileira em Braga está a enfrentar com muita dificuldade o encerramento, por tempo indeterminado, de muitos negócios.

Em declarações ao Diário do Minho, a presidente da Associação de união, apoio e integração (UAI), Alexandra Gomide, explica que há famílias inteiras sem trabalho. A responsável conta que à associação chegam histórias de pessoas que não tinham contratos concretizados e, no meio desta situação, foram as primeiras a serem dispensadas.

«Existem famílias inteiras, na mesma casa, sem uma única fonte de rendimento», explica a presidente. 

Alexandra Gomide explica que a grande maioria da comunidade brasileira que veio para Braga já veio com a reforma e tem «um rendimento próprio e «sentem apenas a subida do euro».

«Depois temos uma percentagem grande da comunidade que veio para empreender e essa sim está a sentir muito. Nem tiveram tempo de abrir as portas. Estavam no momento da divulgação», refere a responsável.

[Notícia completa na edição impressa de amanhã do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up