Fotografia: DM

União Europeia vive dias decisivos

Presidente do Comité Económico e Social Europeu apela a «boa vontade» política e «verdadeira liderança» para resolver a crise da Covid-19.

Luísa Teresa Ribeiro
2 Abr 2020

O presidente do Comité Económico e Social Europeu (CESE) considera que os próximos dias são decisivos para o futuro da União Europeia, apelando à «boa vontade» política e a uma «verdadeira liderança» para resolver a crise aberta pela Covid-19. «Nos próximos dez dias, saberemos se a crise do coronavírus fortalecerá ou destruirá a Europa», afirma Luca Jahier.

Numa declaração publicada terça-feira na página do CESE na Internet, este responsável alerta para o «perigo mortal» das divisões no seio da UE, advertindo que «ou todos saem desta crise ou ninguém sai».

O líder do organismo representativo da sociedade civil organizada defende um «pacote de estímulos sem precedentes», que implicará «um aumento do papel do Estado na economia e um acréscimo da dívida pública». 

Luca Jahier afirma que «um plano para um verdadeiro “renascimento” da Europa só pode ser financiado por instrumentos comuns a nível europeu, acessíveis a todos», rejeitando a política do «cada um por si».

O dirigente deste órgão consultivo considera que o «único caminho lógico a seguir» é o «uso do Mecanismo Europeu de Estabilidade sem quaisquer condições, das ferramentas reforçadas do Grupo BEI (Banco Europeu de Investimento e Fundo Europeu de Investimento), de novos títulos de dívida cobertos pelo orçamento europeu, de uma forte garantia europeia contra o desemprego e a pobreza e de novas fundos para a política de coesão».

Em seu entender, os “coronabonds” são «a melhor solução», apesar de ser difícil a sua implementação, uma vez que ainda não existem regras fiscais comuns, embora admita que há outras opções.

Luca Jahier declara que neste momento é preciso «boa vontade política, deixar tabus inúteis e trabalhar incansavelmente em questões técnicas». «Agora, é uma questão de verdadeira liderança, evitando o horrível espectáculo da semana passada», afirma, advertindo: «A história não vai poupar ninguém, especialmente quem está em lugares de liderança».

Recorde-se que, recentemente, o CESE já tinha apelado à coordenação política a nível europeu e a medidas conjuntas para fazer face à pandemia provocada pelo novo coronavírus, num documento subscrito por Luca Jahier e pelos presidentes dos três grupos deste organismo: Empregadores, Trabalhadores e Diversidade Europa.





Notícias relacionadas


Scroll Up