Fotografia: CM Barcelos

Barcelos centra combate à pandemia na ajuda aos idosos e às empresas

Município de Barcelos criou um “call center” para presidentes de junta (número confidencial] e para cidadãos (253 809 655)

Joaquim Martins Fernandes
30 Mar 2020

A Câmara Municipal de Barcelos elegeu hoje os idosos à guarda das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) como os destinatários das medidas especiais de combate à pandemia, por considerar que são o grupo da população com «necessidades especiais».

O Município barcelense está também a tomar medidas para minimizar o impacto da pandemia na economia do concelho, mediante a antecipação de pagamentos aos fornecedores. A autarquia barcelense tem uma almofada financeira «confortável» de 16 milhões de euros.

Miguel Costa Gomes, que falava aos jornalistas através de uma videoconferência, sublinhou que o propósito reside em ««minimizar os impactos» que a pandemia vai ter nas empresas.

Para prevenir que o tecido empresarial barcelense fique muito exposta à crise que se anuncia, a Câmara Municipal de Barcelos começou a antecipar os pagamentos aos fornecedores. «Neste momento, já efetuamos pagamentos antecipados no valor global de 2 milhões de euros. Mas a nossa capacidade financeira é boa, temos uma “almofada” confortável” e podemos e vamos continuar com esta medida», sublinhou Costa Gomes, fazendo saber que as atividades culturais e recreativas que estão a ser canceladas, e que tinham um orçamento próprio, são uma outra fonte de financiamento a que o Município poderá recorrer para antecipar pagamentos aos mais diversos fornecedores.

Com 43 cidadãos de Barcelos infetados até à meia noite deste domingo, segundo os números que foram comunicados a Miguel Costa Gomes pelo Agrupamento de Centros de Saúde que servem Barcelos e Esposende – os números da Direção Geral da Saúde referem 35 infetados em Barcelos e 8 em Esposende – as preocupações do autarca barcelense estão centradas nos idosos que dependem das 27 IPSS do concelho, estando 650 idosos em Lares Residenciais, 646 em Centros de Dia e 444 em Aoio Domiciliário.

«À exceção da IPSS da Pousa, está tudo sereno. Houve alguns casos de infeção, mas as próprias instituições têm capacidade para proceder ao isolamentos dos infetados», afirmou Costa Gomes, deixando claro que a intenção do Município é que «todos os utentes e todos os funcionários façam o teste» de despiste do SAR-COV-2, que é o vírus que provoca a Covid-19. Os utentes da IPSS da Pousa estão a fazer testes e os que derem negativo serão colocados numa unidade de saúde privada.





Notícias relacionadas


Scroll Up