Fotografia: DM

Arcebispo de Braga exorta a denunciar as situações de «injustiça e anormalidade»

D. Jorge Ortiga diz que é «urgente ativar um profetismo interventivo»

Jorge Oliveira
22 Mar 2020

O Arcebispo de Braga pediu hoje aos cristãos que, com «objetividade», tomem consciência das realidades e denunciem as «situações de injustiça e de anormalidade» nas comunidades.

O apelo foi feito na Eucaristia dominical celebrada à porta fechada na capela do Paço Arquiepiscopal, com transmissão direta pelos canais da Arquidiocese na internet.

Leigos e sacerdotes são, assim, convidados a um olhar «profético» diante do que está a acontecer na Igreja e na sociedade, não ignorando os desafios colocados pelo mundo, mormente neste período de crise causado pela pandemia da Covid-19.

«Perante tudo o que vemos, é urgente ativar um profetismo interventivo», alertou D. Jorge Ortiga, explicando que profeta «não é aquele que vê o amanhã mas aquele que vê longe e intervém com ousadia e coragem».

No final da Eucaristia, D. Jorge Ortiga saudou todos quantos têm seguido, nos últimos dias, as Eucaristias transmitidas pela internet a partir do Paço,  e são mais de 50 mil fiéis, em Portugal, mas também na Venezuela, França, Brasil, EUA, Suíça e Inglaterra.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up