Fotografia: Avelino Lima

Restrição a “horário zero” gerou dúvidas no comércio de Braga

Alguns estabelecimentos com bens não essenciais abriram normalmente portas

José Carlos Ferreira
17 Mar 2020

A restrição a “horário zero” pela Cãmara de Braga a todos os estabelecimentos de comércio e serviços do concelho, exceto os considerados que prestam serviços essenciais, gerou hoje várias dúvidas.
Se é verdade que uma grande parte dos estabelecimentos acataram a disposição da autarquia, não abrindo portas, não é menos verdade que algumas lojas com bens aparentemente não essenciais abriram portas normalmente.
Em declarações ao Diário do Minho, o presidente da Câmara de Braga sustentou que o despacho está já a produzir efeito, sendo visível em várias artérias da cidade e até no concelho. No entanto, acrescentou, também se verifica que há estabelecimentos abertos, provavelmente «por falta de informação».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up