Fotografia:

Campus fechado e 180 alunos monitorizados na UMinho

Covid-19 em Braga.

Nuno Cerqueira
8 Mar 2020

«A partir de amanhã [segunda-feira], não haverá atividades letivas no campus de Gualtar», disse hoje o reitor da Universidade do Minho em declaração ao jornalistas, confirmando a notícia avançada pelo Diário do Minho ontem à noite (ver aqui).

Rui Vieira de Castro revelou que 180 alunos estão a ser monitorizados, depois de um aluno ter sido infetado com o novo coronavírus.

A decisão de encerra o campus frequentando por mais de 12 mil alunos foi tomada após reunião com as autoridades concelhias da saúde e da proteção civil.

Em nota colocada no site da UMinho (ver aqui), é possível perceber que os complexos pedagógicos, as cantinas e os serviços desportivos foram encerrados e vão ficar isolados, para higienização.

Segundo reitor, as residências universitárias continuam abertas, mas as ordens são de “alerta” no sentido de perceber a evolução da situação.

No entanto em Guimarães, no campus de Azurém, tudo vai estar em funcionamento, sendo que segundo o reitor «não há razão para fechar outros espaços da universidade».

O “teletrabalho” pode ser uma solução para assegurar o funcionamento de alguns serviços e os alunos em mobilidade, na entrada em Portugal, vão ficar sujeitos um período de quarentena.

Os alunos que estão em Itália já foram contactados no sentido de perceber a vontade destas quanto ao regresso ou permanência naquele território.

Conferências e seminários, assim como outro tipos de ajuntamentos académicos (ver aqui),  são reduzidas ao mínimo.

No sábado foi confirmado Covid-19 a um aluno de História da UMinho, tendo a universidade decidido, de imediato, encerrar o edifício do Instituto de Ciências Sociais.

«As medidas vão sendo tomadas segundo a avaliação que fazemos a todo o momento. É um contexto dinâmico, de acompanhamento continuado», disse ainda o reitor.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou cerca de 3600 mortos entre mais de 105 mil pessoas infetadas numa centena de países e territórios.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up