Fotografia: Avelino Lima
Eutanásia «não é o caminho» para a sociedade portuguesa

Arcebispo de Braga exorta a reflexão profunda e alargada sobre o tema, numa Eucaristia em Requião, Vila Nova de Famalicão

Jorge Oliveira
23 Fev 2020

O Arcebispo Primaz de Braga disse hoje, em Requião, Vila Nova de Famalicão, que a prática da eutanásia «não é o caminho» para a sociedade portuguesa, numa reação à aprovação dos projetos de lei, na passada quinta-feira, na Assembleia da República sobre a despenalização da eutanásia.

Na Eucaristia de ação de graças a que presidiu pelos sete anos do Centro Social Paroquial de Requião, D. Jorge Ortiga defendeu uma reflexão profunda e alargada sobre este tema fraturante, para que a sociedade portuguesa tenha «noções claras» e se possa pronunciar.

«Era bom que nós, os cristãos, tivéssemos a preocupação por conhecer ou saber o que é a eutanásia, o suicídio assistido e a distanásia», disse D. Jorge diante de uma assembleia que lotou a igreja paroquial.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up