Fotografia: Avelino Lima

Festival de Papas é «evento-chave» na promoção da região

O certame abriu hoje ao público e termina na próxima terça-feira, numa tenda instalada no mercado municipal.

Rita Cunha
22 Fev 2020

Um «evento-chave» na promoção não só do concelho de Amares e de tudo o que este pode oferecer, mas de toda a região. Foi desta forma que o Festival de Papas de Amares foi considerado pelos representantes de várias entidades ligadas à autarquia, ao turismo e ao comércio, ontem, por ocasião da abertura ao público da 18.ª edição.

A expressão «evento-chave» foi mesmo utilizada pelo presidente da Associação Comercial de Braga, que destacou a importância deste evento no território, afirmando-se a cada ano que passa, e que não se esgota no recinto em si, ajudando a «dinamizar toda a economia do concelho em vários setores, desde a restauração ao alojamento».

Já o presidente da Câmara Municipal de Amares começou por lembrar a importância do Festival de Papas de Amares enquanto «evento que muito dignifica os amarenses».
Manuel Moreira lembrou ainda o impacto que o Festival de Papas de Amares tem nas vertentes económica e cultural, acabando por ter impacto para lá do espaço físico da tenda montada junto ao mercado municipal. A propósito, lembrou que no concelho existem cerca de duas mil camas em alojamento local «de qualidade», assim como vários solares requalificados, sendo necessário que os municípios da região – Guimarães, Braga, Vila Verde e Terras de Bouro, entre outros -, juntamente com Amares, promovam um «trabalho conjunto» para atrair cada vez mais visitantes.

«Temos de fazer com que mais gente venha para o território, trabalhar para afirmar Amares como um território de excelência. Queremos ter visitantes – portugueses ou estrangeiros -, ter coisas que os atraiam, como a gastronomia e as artes. Vamos continuar a fazer este trabalho», garantiu o edil, sublinhando, contudo, que «sozinhos não conseguimos transformar o concelho». «Temos de ser todos a puxar para que o concelho dê um passo em frente», vincou.

Já o presidente da Turismo Porto e Norte lembrou que «Amares tem muito para oferecer, desde o vinho verde à laranja, ao património, com o Mosteiros de Rendufe e Santa Maria do Bouro e o Gerês tão perto. Era preciso uma nova solução e o município ajudou-nos a encontrá-la», referiu Luís Pedro Martins, agradecendo à Câmara Municipal de Amares todo o empenho desde a primeira hora.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up