Fotografia: DM

Human Power Hub nasce em Braga para potenciar a criação de pensamento

Centro de inovação social foi oficialmente inaugurado esta manhã, numa cerimónia que contou com a presença do Secretário de Estado do Planeamento, José Mendes.

Rita Cunha
21 Fev 2020

Criar pensamento na cidade e olhar para o que está na ordem do dia, na designada “revolução industrial”, com enfoque na quarta transformação social, antevendo o que vai acontecer, por exemplo, do ponto de vista das alterações climáticas, do urbanismo e da mobilidade dos cidadãos, e ajudar a perspetivar a melhor forma de lidar com um país cada vez mais envelhecido. Estas são apenas algumas das várias vertentes que abarca o Human Power Hub – Centro de Inovação Social de Braga, oficialmente inaugurado ontem no edifício do Castelo, em pleno centro da cidade.

A iniciativa começou com uma visita pelos diversos espaços distribuídos pelos três pisos, e no qual estão já instalados os laboratórios de inovação, inseridos num programa que visa o empreendedorismo e a inovação nas áreas urbana, social e cultural. Trata-se de um projeto de âmbito social que promove a incubação de novas ideias, promovendo assim a produção do conhecimento e o desenvolvimento de uma estratégia municipal de responsabilidade social corporativa.

Presente na cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Braga começou por lembrar o «momento de satisfação» que experenciava. «O município tem procurado, nos últimos anos, ser um catalizador», comprometendo «me todas as áreas os agentes mais relevantes em termos locais», como as universidades, os poderes públicos e os cidadãos. Para Ricardo Rio, esse tem sido «o segredo do sucesso», permitindo «desenvolver iniciativas em que todos assumam a sua responsabilidade».

«Queremos que Braga continue a ser uma referência como um território de pujança económica e de oportunidades», disse, não esquecendo, também, «o em-estar de todos os cidadãos».
O edil lembrou ainda que, «em complemento às atividades com mais visibilidade de desenvolvimento económico e dinamização cultural», o município tem procurado «acompanhar cada uma das dinâmicas» relacionadas com os objetivos do desenvolvimento sustentável e com a vertente social, «sempre neste espírito de inovação». «Não apenas replicamos o que existe, mas estimulamos novos projetos e encontramos soluções diferenciadoras para os novos problemas que vamos encontrando», salientou, desejando sucesso a aos projetos já incubados.





Notícias relacionadas


Scroll Up